Opinião

Como será a sociedade brasileira daqui a cinquenta anos?


Apesar de toda desgraça moral e política que se abateu sobre os brasileiros, resta a certeza de que a nação estará melhor com o triste aprendizado


  Por Roberto Mateus Ordine 06 de Novembro de 2017 às 16:09

  | Advogado e vice-presidente da ACSP e Facesp


Como será o comportamento de nossa sociedade daqui a cinquenta anos, após ter sobrevivido ao “tsunami moral“ que atingiu o país nestes últimos quinze anos?

Não será necessário bola de cristal ou exercício de futurologia para saber que, apesar de toda desgraça moral e política que se abateu sobre os brasileiros nestes anos, resta a certeza de que a nação estará melhor com o triste aprendizado.

Isso porque a base social do povo brasileiro continua assentada nos valores da família, apesar das tentativas de sua desestruturação por uma minoria desclassificada.

A garantia desse comportamento está na marcha da civilização através dos tempos, na lição de Heródoto, o pai da história: “É preciso conhecer o passado, para analisar o presente e idealizar o futuro.”

A partir das mazelas sofridas e que geraram tanto desgaste social, a família brasileira sobreviverá lutando para a melhoria de nossa educação moral, vencendo os “cultuadores de Bacco” e os discípulos de Gramsci, que tentam gerar confusão e caos social.

Assim também foi na antiga Grécia, quando Esparta, numa visão guerreira, separou os jovens para prepará-los para a guerra. No entanto, sucumbiu diante da filosofia de Atenas, que deixou tantos legados bons, entre os quais a ética e a moral, como bússola para a humanidade.

Não foi diferente na Roma antiga, pelo registro de Montesquieu, quando descreveu a ascensão e queda do Império. Roma legou-nos o Direito Romano, berço do ordenamento jurídico moderno.

E foi naquele trabalho de muita valia que a antiga sociedade romana reconheceu na instituição da família a célula mater da sociedade.

Embora o Direito Romano tenha dado sustentação à sociedade organizada; alguns estudiosos registraram na era primitiva alguns princípios rudimentares da família.

Foram os valores morais da família que a sociedade moderna herdou da história da civilização, onde se destaca o matriarcado romano, iluminado pela alma feminina, que deu sustentação à sociedade romana, quando a queda moral a ameaçou.

Por tudo isso é que fica a certeza de que nossa sociedade deverá se manter vigilante contra modismos e falsos valores que procuram desestruturar a família brasileira.

Vale lembrar aqui a lição de Roberto Campos, quando consultado sobre a educação: “A educação é dever da família com a colaboração do Estado.”

IMAGEM: Thinkstock 

 

*As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio