Opinião

Avante, Brasil!


Há a esperança, que começa se tornar realidade, de fato e de direito, que o país vai se reencontrar consigo mesmo


  Por Paulo Saab 04 de Janeiro de 2019 às 18:09

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


O início do mandato do presidente Jair Bolsonaro é promissor. Mesmo quem não concorda cem por cento com ele há de admitir, que, desde a cerimônia de posse até as primeiras medidas e declarações do presidente e de seus ministros, há a esperança que começa se tornar realidade, de fato e de direito, que o Brasil vai se reencontrar consigo mesmo, de onde foi desviado há cerca de uma década e meia, para o caminho do mal.

A medida desse início promissor é a reação das forças de esquerda derrotadas nas urnas -inconformadas com isso- e demonstrando, como sempre, uma falta de visão de brasilidade que as colocam cada vez mais à margem do cenário nacional.

Essas reações não são novidades pois o lulopetismo e seus satélites de apoio de sangria dos cofres públicos, somente reconhecem como legítimas suas vitórias e apenas aceitam o que lhes é conveniente à luz da ideologia exógena que os domina.

Poucos se lembram, mas o PT na época, recusou-se a assinar a Constituição de 1988, a mesma que lhes garantiu chegar ao poder e dele sair de forma legal, quando poderiam ter sido varridos por outros meios tamanha foi a desgraça que causaram ao Brasil aos brasileiros em seus 4 nefastos mandatos.

Como agora não compareceram à posse, se isolaram de novo em sua auto tacanhice e declaram hostilidade a um governo que os derrotou constitucionalmente nas urnas.

Mas chega de falar de gente do mal. O que fizeram já foi demais e o que ainda virá a público vai estarrecer o país, enquanto eles irão continuar com sua “ladragem” buscando de todos os modos boicotar, sabotar, o crescimento do país e a melhoria efetiva da qualidade de vida da população.

Certamente a mídia engajada nos anos de lulopetismo através de convincentes mecanismos de ade$ão, faz um estardalhaço desproporcional aos fatos e tenta desacreditar e desgastar o governo que se inicia.

Do alto dos 37 anos de publicação desta coluna, confesso que jamais assisti a tamanha demonstração de engajamento e falta de profissionalismo, como o de coleguinhas que trouxeram a público sua insatisfação por terem que na posse ficar sem suas mordomias e privilégios que detinham por terem se engajado no projeto socialista derrotado nas urnas pelo povo brasileiro. Foi melancólico como continua sendo o despeito de cada dia.

Vamos focar agora no que a população decente do Brasil determinou: o resgate do Brasil de valores nacionais e em busca da ordem e progresso e não do caos e da desordem, como pretendiam e estavam trabalhando, nessa direção, os derrotados.

Avante, Brasil.

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio