Opinião

A culpa é da mulher


A culpa não é da Mariana Ferrer. A culpa é minha, é sua e de todas nós mulheres, que permitimos por tanto tempo que nos objetificassem, nos inferiorizassem


  Por Alessandra Andrade 04 de Novembro de 2020 às 13:55

  | Coordenadora do FAAP Business Hub e vice-presidente de relações com a juventude e inovação da ACSP


Sim, a culpa é da mulher. Na nossa sociedade, a vítima e a culpada são a mesma pessoa. A sociedade nos exige ser magra, atraente e nos culpa de sermos provocativas.

Eu acho sim, que a culpa é da mulher. Não por ser bonita, sensual e descuidada. A culpa não é da Mariana Ferrer. A culpa é minha, é sua e de todas nós mulheres, que permitimos por tanto tempo que nos objetificassem, nos inferiorizassem. 

A culpa é nossa, porque ainda não aprendemos direito nem a falar a palavra sororidade, quanto mais praticá-la. 

A culpa é nossa que ficamos julgando a Mariana por estar sexy, provocante e alcoolizada (como se os homens não enchessem a cara em toda a balada e fizessem todo o tipo de absurdo).

A culpa é nossa, porque temos preconceito e achamos que por essas circunstâncias, a Mariana não tem o direito de poder conscientemente escolher se quer ou não. 

Mesmo que ela fosse (o que não é) uma profissional do sexo (ela era virgem comprovadamente), mesmo assim, teria o direito a dizer não. 

A culpa é nossa, porque esse estuprador (culposo mesmo que seja absurdo) tem uma mãe. Esse advogado que humilhou essa moça, tem uma mãe. Esse promotor que pede a absolvição desse ser, tem uma mãe e, com certeza, esse juiz que criou essa modalidade absurda de estupro - não estupro -, não nasceu de uma chocadeira.

Isso sem pesquisar esposas, filhas, irmãs. O que essas mulheres falaram para esses indivíduos? 

A culpa é de cada uma de nós mulheres, que até então, aceitamos isso como normal. 

Eu tive amigas estupradas. Amigas que não eram putas, que não pediram por isso. Eu tive amigas que conseguiram escapar de situações que chegaram próximo a isso. Eu mesma, passei por situações constrangedoras de assédio. 

E o que nós fizemos? Nos calamos. Calar é consentir. Nos calamos porque a culpa, em nossa sociedade machista, recai sobre a vítima. Nos calamos porque a criação de provas para esta acusação é extremamente difícil. Nos calamos, porque sentimos vergonha. E se nos calamos, somos culpadas. 

Eu não quero mais essa culpa. Chega de silêncio.







Publicidade




Publicidade






Publicidade