Notícias

Será que sua empresa já não deveria estrar no eSocial?


Paulo Abrahão, auditor-fiscal da Receita Federal, alertou as empresas, em palestra na ACSP, a seguirem o cronograma de implantação do eSocial


  Por Redação DC 25 de Abril de 2019 às 10:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Em palestra na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Paulo de Oliveira Abrahão, auditor-fiscal da Receita Federal, disse que o eSocial muda a lógica como as empresas devem lidar com as obrigações acessórias.

“Hoje, primeiro se paga o imposto para depois declarar e fazer a escrituração. Agora será preciso antes de tudo fazer a escrituração do tributo para depois apurá-lo, declará-lo e só então pagá-lo”, afirmou Abrahão.

Ele chamou a atenção para o enquadramento correto da empresa no cronograma de implantação do eSocial. Segundo o auditor, é preciso considerar a situação da companhia em primeiro de julho de 2018.

Assim, considerando a etapa atual da implantação do sistema, que engloba o Simples Nacional, mesmo que a empresa se encontre atualmente desenquadrada do regime simplificado, se em julho do ano passado ela estava enquadrada precisará seguir o cronograma atual.

Então, até julho de 2019 será obrigatório que essa empresa providencie o envio das folhas de pagamento por meio do eSocial e até outubro terá de enviar a Substituição da GFIP para recolhimento de FGTS e a Substituição da GFIP para recolhimento de contribuições previdenciárias. As GFIPs darão lugar a DCTFweb.

Assista abaixo à palestra completa de Paulo de Oliveira Abrahão na ACSP: