Negócios

Volume de serviços prestados acumula queda de 3,8% até agosto


O balanço foi divulgado nesta terça-feira pelo IBGE, que indica recuo da atividade em agosto passado


  Por Estadão Conteúdo 17 de Outubro de 2017 às 10:10

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O volume de serviços prestados teve redução de 1,0% em agosto ante julho, após a queda de 0,8% registrada no mês anterior, na série com ajuste sazonal.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços divulgada nesta terça-feira (17/10), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado veio pior que a mediana (-0,40%) das estimativas captadas pelo Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo, que ia de uma taxa negativa de 0,80% a uma variação positiva de 0,70%.

Em relação com agosto do ano anterior, houve redução de 2,4% em agosto deste ano, já descontado o efeito da inflação.

Também nessa base de comparação, o resultado veio pior que a mediana (-2,00%) das estimativas captadas pelo Projeções Broadcast, mas dentro do intervalo (de -2,80% a -1,20%).

A taxa acumulada pelo volume de serviços prestados no ano ficou negativa em 3,8%, enquanto o volume acumulado em 12 meses registrou perda de 4,5%.

Desde outubro de 2015, o órgão divulga índices de volume no âmbito da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS). Antes disso, o IBGE anunciava apenas os dados da receita bruta nominal, sem tirar a influência dos preços sobre o resultado.

Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal diminuiu 0,6% em agosto ante julho. Na comparação com agosto do ano passado, houve alta na receita nominal de 2,0%.

FAMÍLIAS

O segmento de serviços prestados às famílias registrou um recuo de 4,8% na passagem de julho para agosto, após quatro meses seguidos de crescimento.

"O segmento de serviços prestados às famílias rompe com uma sequência de quatro resultados positivos. O mês de agosto foi muito fraco para serviços prestados às famílias, principalmente em alojamento e alimentação fora de casa", apontou Roberto Saldanha, analista da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

Os demais resultados foram positivos entre as atividades pesquisadas: Outros Serviços, 1,0%; Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, 0,7%; Serviços profissionais, administrativos e complementares, 1,6%; e Serviços de informação e comunicação, 0,3%.

O agregado especial das Atividades turísticas apresentou redução de 3,1% em agosto ante julho.

O predomínio de resultados positivos faz parte do método de ajuste sazonal, explicou o pesquisador. Entre os subitens, porém, houve perdas importantes no transporte terrestre, nos serviços de armazenamento, telecomunicações, tecnologia da informação e audiovisuais, que puxaram a queda de 1,0% na média global em agosto ante julho, afirmou Saldanha.

 

FOTO: Thinkstock