Negócios

Vendas nos supermercados sobem 2,95% em janeiro


Procura por material escolar ajudou a puxar o crescimento no mês, segundo a Abras, que projeta alta de 3% para o setor ao longo de 2019


  Por Redação DC 06 de Março de 2019 às 15:07

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O ano de 2019 começou bem para o setor supermercadista, que registrou em janeiro 2,95% de crescimento real (deflacionado pelo IPCA/IBGE) em relação a igual período do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

De acordo com o estudo, elaborado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, na comparação com dezembro, o setor apresentou queda de -22,07% nas vendas.

De acordo com João Sanzovo Neto, presidente da ABRAS, janeiro é um mês de férias e muitas pessoas acabam ficando mais tempo em casa - o que contribui para um aumento no consumo.

LEIA MAIS:Carrefour vai abrir mais 20 lojas de Atacadão

"Em algumas redes, a compra de material escolar é outro fator que auxilia no crescimento das vendas. Sabemos que a volta do consumo será gradativa, mas estamos confiantes para os próximos meses, e o resultado de janeiro é um bom sinal e nos dá um ânimo a mais para acreditar que 2019 será um ano promissor para o setor”, afirma.  

Em relação à queda registrada na comparação com dezembro, Sanzovo pontuou que a responsável foi a sazonalidade do Natal e Ano Novo, períodos de maiores vendas para os supermercados. O setor fechou 2018 com crescimento de 2,07% de crescimento. Para 2019, a ABRAS projeta alta de 3% nas vendas.

ABRASMERCADO  

Em janeiro, a cesta de produtos Abrasmercado, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, registrou queda de -0,03%, passando de R$ 465,71 para R$ 465,57. No acumulado do ano (janeiro2019/janeiro2018), a cesta apresentou crescimento de 3,21%. 

As maiores quedas de preço no mês de janeiro foram registradas em produtos como: tomate, farinha de trigo, leite longa vida e carne dianteiro. Já as maiores altas foram nos itens: feijão, cebola, desinfetante e batata. 

Já  no recorte por regiões, o Sudeste apresentou a maior alta nos preços da cesta Abrasmercado, 0,93%, chegando a R$ 453,81 ante R$ 449,63 registrados em dezembro.

O resultado foi impulsionado, principalmente, pela Grande São Paulo, 1,91%, e interior de Minas Gerais,1,30%. A maior queda no valor da cesta foi registrada na Região Norte, -0,94%. 

O indicador Abrasmercado não é a cesta básica, mas sim uma cesta composta por 35 produtos mais consumidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica.

FOTO: Thinkstock