Negócios

Vendas nos supermercados crescem 2,58% no 1º semestre


Setor está otimista em manter a expectativa de fechar o ano em 3% de alta, puxada pela Semana do Brasil, a antecipação do 13º dos aposentados e os saques do FGTS, afirma a Abras


  Por Redação DC 30 de Agosto de 2019 às 15:57

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


As vendas do autosserviço brasileiro seguem em alta. De janeiro a julho, o setor registrou 2,85% de crescimento real - deflacionado pelo IPCA/IBGE, de acordo com o Índice Nacional de Vendas (INV), da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS). No último mês, a alta foi de 1,35% na comparação com junho, e de 4,12% em relação a julho de 2018. 

Para o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto, o resultado dos últimos sete meses reforça as expectativas do setor de terminar 2019 com crescimento de, pelo menos, 3%, projetados pela entidade desde o começo do ano.

LEIA MAIS:Supermercados acumulam alta de 2,71% nos preços

“Julho teve um dia a mais que junho e, no ano passado, o mês de julho foi impactado pela paralisação dos caminhoneiros. Já o acumulado se aproxima das nossas expectativas iniciais e mostra leve aquecimento no consumo", afirma. "Com a injeção de mais dinheiro na economia, vinda da antecipação do 13º dos aposentados, do FGTS e do PIS/PASEP, estamos otimistas para os próximos seis meses.”

De acordo com a Abras, o setor supermercadista fechou o primeiro semestre com alta real de 2,64%, de acordo com o INV, divulgado no final de julho pela entidade nacional.

Sanzovo comentou ainda sobre a Semana do Brasil, iniciativa do governo federal em parceria com diversas entidades dos setores de comércio e serviços, incluindo a ABRAS, que acontece de 6 a 15 de setembro, com o intuito de incentivar o consumo e melhorar os números da economia, por meio de diversas promoções no comércio varejista de todo o Brasil.

“As nossas expectativas são as melhores, e essa ação vem em boa hora, num mês que não tinha tradição de fortes vendas. Estamos mobilizando os supermercados, por meio de nossas associações estaduais, e esperamos gerar bons resultados no setor”, sinaliza.

ABRASMERCADO E REGIÕES 

No mês de julho, o indicador Abrasmercado, que identifica as oscilações de preços dos 35 produtos mais consumidos nas lojas supermercadistas, registrou queda de -0,67%, passando de R$ 487,10 para R$ 483,84, e alta de 4,19% na comparação com julho de 2018.

De acordo com a GfK, responsável pela apuração do índice, as maiores quedas foram registradas nos produtos: tomate, -9,64%, batata, -5,98%, farinha de mandioca, -5,39%, e feijão, -4,14%. As principais altas nos preços foram identificadas nos itens: cebola, 24,08%, xampu, 3,57%, pernil, 3,46%, e carne dianteiro, 1,74%.

Quanto às regiões, em julho, todas apresentaram queda no preço da cesta Abrasmercado. As maiores variações negativas foram registradas na Região Centro-Oeste, -1,29%, com o valor de R$ 449,29, resultado impulsionado, principalmente, por Cuiabá, -2,35%, e na Sudeste, -0,75%, que chegou a R$ 467,82, influenciado pela Grande Vitória, que registrou queda de -2,72%.

FOTO: Tânia Rego/Agência Brasil