Negócios

Vendas no comércio crescem 0,4% em janeiro


O volume comercializado ficou 6,6% abaixo do ponto mais alto da série, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio, do IBGE


  Por Estadão Conteúdo 14 de Março de 2019 às 09:51

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


As vendas do comércio varejista subiram 0,4% em janeiro de 2019 ante dezembro de 2018, na série com ajuste sazonal, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
O resultado veio acima da mediana das projeções (+0,10%), calculada a partir do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 0,8% a avanço de 1,6%.

Na comparação com janeiro de 2018, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,9% em janeiro de 2019, bem acima da mediana das estimativas (+0,8%). Nesse confronto, as projeções iam de uma redução de 1,1% a expansão de 2,1%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 1,9% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 2,2%.
 
LEIA MAIS: Supermercados começam 2019 com vendas em alta

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 1,0% em janeiro ante dezembro, na série com ajuste sazonal.
 
O resultado veio bem acima da mediana das estimativas (+0,3%), mas dentro do intervalo das projeções dos analistas ouvidos pelo Broadcast, que esperavam desde um recuo de 0,8% a alta de 1,2%.
 
LEIA MAIS: No varejo paulistano, crescimento foi de 2,6% em janeiro

Na comparação com janeiro de 2018, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 3,5% em janeiro de 2019 e, portanto, vieram perto do teto das previsões. Nesse confronto, as projeções variavam desde um recuo de 0,4% a uma alta de 3,8%, com mediana positiva de 2,1%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 3,5% no ano. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 4,7%.
 
Sete entre as oito atividades do varejo registraram avanços nas vendas. A única queda ocorreu no setor de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,5%). 

Tiveram taxas positivas os segmentos de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (8,2%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (7,2%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%), Combustíveis e lubrificantes (0,5%), Móveis e eletrodomésticos (0,4%), Livros, jornais, revistas e papelaria (0,2%) e Tecidos, vestuário e calçados (0,1%). 

Quanto ao comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o volume de vendas cresceu 1,0% em janeiro ante dezembro. As vendas de Veículos, motos, partes e peças subiram 5,7%, enquanto o setor de Material de construção teve ligeira alta de 0,1%. 
 
O comércio varejista mostrou melhora na passagem de dezembro de 2018 para janeiro de 2019, com alta de 0,4%, levando o patamar de vendas a ficar menos distante do pico registrado em outubro de 2014.
 
O volume vendido operava em janeiro 6,6% abaixo do ponto mais alto da série, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Comércio, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Ou seja, ainda há um caminho a ser percorrido até que o varejo atinja o ponto mais alto alcançado em outubro de 2014", ponderou Isabella Nunes, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE.

Em dezembro de 2016, as vendas chegaram a ficar 13,4% abaixo do ápice da série histórica, iniciada em 2000.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, também houve aumento nas vendas em janeiro (1,0%). O volume vendido ficou 11,4% aquém do patamar recorde alcançado em agosto de 2012. Em setembro de 2016, as vendas operavam 22,2% abaixo do pico.