Negócios

Vendas nas redes de farmácias crescem bem acima do varejo


Até setembro, estabelecimentos filiados à Abrafarma registraram alta de 9,05% ante 1,4% projetados pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) para 2017


  Por Estadão Conteúdo 14 de Novembro de 2017 às 08:15

  | Agência de notícias do Grupo Estado


As 26 redes de farmácias afiliadas à Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) movimentaram R$ 32,92 bilhões no acumulado dos primeiros nove meses do ano, um aumento de 9,05% sobre o mesmo período de 2016.

Os dados foram compilados pela Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo (FIA-USP).

Em nota, a Abrafarma ressalta que o segmento mantém índices de crescimento acima da média estimada para o varejo brasileiro - cuja alta é projetada em 1,4% pela Associação Comercial de São Paulo.

Apesar de representarem 9,2% do total de 76 mil farmácias no País, as redes associadas à entidade concentram mais de 41% do faturamento do setor.

LEIA MAIS: Encurraladas, as pequenas farmácias recorrem à franquia

O comércio de medicamentos totalizou R$ 22,5 bilhões no acumulado do ano até setembro, um aumento de 9,61% em relação aos nove primeiros meses do ano passado.

Somente o segmento de genéricos movimentou R$ 3,92 bilhões, com alta de 7,54% sobre o mesmo período de 2016. Ao todo, foram vendidos mais de 238 milhões de unidades de genéricos.

Já a venda dos não medicamentos (itens de higiene, cosméticos, perfumaria e conveniência) contabilizou R$ 10,42 bilhões - um acréscimo de 7,21%.

LEIA MAIS: O que a loja física da Beleza na Web tem a ensinar ao varejo

Segundo a associação, o enfoque na abertura de novas lojas e no investimento em logística e distribuição é o principal responsável pela expansão do grande varejo.

No período de um ano, o número de lojas aumentou 7,63%, passando de 6.581 para 7.083 unidades. Já o número de contratações subiu 2,8%, passando de 117.137 para 120.454 funcionários e colaboradores.