Negócios

Vendas do varejo paulista devem cair 33% em junho, diz FecomercioSP


Segundo a entidade, as comercializações do segmento de vestuário podem recuar 67% no mês, gerando prejuízo de R$ 3,5 bilhões


  Por Agência Brasil 05 de Junho de 2020 às 17:31

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O mês de junho deve registrar uma queda de 33% nas vendas do comércio varejista do estado de São Paulo, com prejuízo de mais de R$ 19 bilhões, na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento da FecomercioSP.

Quando avaliado todo o primeiro semestre de 2020, o recuo deve ser de aproximadamente 20%, resultado do fechamento de parte do comércio não essencial nos meses de março, abril e maio.

Segundo apurado pela entidade, a procura por presentes para o Dia dos Namorados deve ser pequena, já que foi registrada baixa intenção de consumo das famílias.

“A retomada gradual e faseada em junho, respeitando as condições regionais, deverá se dar de forma muito lenta, com grande parte do varejo não operando de forma plena ao longo do mês, limitando, portanto, as vendas no Dia Dos Namorados”, afirmou a FecomercioSP.

VESTUÁRIO

De acordo com os dados, o segmento de vestuário deve recuar em 67% em junho, com prejuízos em torno de R$ 3,5 bilhões. No acumulado do ano, a queda deve ser de 44%, refletindo também a baixa nas vendas no Dia das Mães.

Segundo a FecomercioSP, o ano de 2020 deve apresentar o pior desempenho do comércio varejista de sua história. A entidade acredita que no pós-pandemia a estrutura do comércio varejista também voltará bem debilitada, com quadro reduzido de funcionários, endividamento, baixa liquidez e níveis de estoques inadequados.

“Não é esperada uma recuperação rápida frente à crise, pois as famílias tiveram suas rendas encolhidas decorrentes das altas do desemprego e do endividamento, com a intenção de consumo drasticamente reduzida e focada apenas em produtos essenciais, como alimentos e remédios, tal como ocorreu na recessão de 2015 e 2016”, diz a entidade em nota.

 

IMAGEM: Pixabay





Publicidade





Publicidade





Publicidade