Negócios

Vendas do varejo fecham primeiro semestre com queda de 2,7%


Os resultados positivos acumulados no segundo trimestre não foram suficientes para compensar o desempenho ruim registrado nos primeiros três meses do ano, segundo o IBGE


  Por Estadão Conteúdo 11 de Agosto de 2021 às 09:34

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


As vendas do comércio varejista caíram 1,7% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 11/08, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com junho de 2020, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo subiram 6,3% em junho deste ano.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 6,7% no ano e alta de 5,9% em 12 meses.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 2,3% em junho ante maio, na série com ajuste sazonal.

Na comparação com junho de 2020, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 11,5% em junho. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam aumentos de 12,3% no ano e de 7,9% em 12 meses.

SEGUNDO TRIMESTRE

Com a queda de 1,7% em junho ante maio, as vendas do varejo restrito fecharam o segundo trimestre com alta de 3,0% ante os três primeiros meses deste ano. O movimento foi de recuperação, já que, no primeiro trimestre, houve uma queda de 4,4% sobre o quarto trimestre de 2020.
 
Com isso, as vendas do varejo restrito fecharam o primeiro semestre com queda de 2,7% ante o segundo semestre de 2020.
 
Na segunda metade do ano passado, as vendas saltaram 10,3% ante o primeiro semestre, num movimento de recuperação após o fundo do poço da crise causada pela covid-19.
 
Segundo Cristiano Santos, gerente da pesquisa do IBGE, o primeiro semestre de 2021, de certa forma, "espelhou", em menor magnitude, o cenário de 2020, quando a primeira metade do ano teve desempenho abaixo do segundo semestre de 2019.
 
Já as vendas do varejo ampliado fecharam o segundo trimestre com alta também de 3,0% sobre os três primeiros meses do ano. O desempenho se seguiu a uma queda de 3,5% sobre o quarto trimestre de 2020. 
 
REVISÕES 
 
O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em maio ante abril, de uma alta de 1,4% para uma elevação de 2,7%. A variação de abril ante março foi moderada de um salto de 4,9% para um avanço de 2,5%.
 
As revisões também melhoraram o desempenho de março. As vendas do varejo restrito passaram de uma queda de 3,0% sobre fevereiro para um recuo de 1,4%. No varejo ampliado, a taxa de maio ante abril foi revisada de um avanço de 3,8% para um avanço de 3,2%.
 
 
IMAGEM: Valter Campanato/Agência Brasil





Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade