Negócios

Vendas do varejo da capital paulista caem 30% na 1ª quinzena de abril


A informação é da ACSP, que espera que o Dia das Mães, o novo Auxílio Emergencial e a liberação da metade do 13º salário dos aposentados melhorem o desempenho do setor


  Por Redação DC 22 de Abril de 2021 às 12:12

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


As vendas do varejo paulistano na primeira quinzena de abril registraram queda de 30,7% na comparação com a primeira quinzena de março, segundo dados do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O recuo na movimentação é explicado pelas medidas restritivas anunciadas pelo Governo de São Paulo, que colocou todo o Estado nas fases Emergencial e Vermelha, impedindo a abertura de lojas e comércios considerados não essenciais.

“No começo de março o comércio funcionava. No início de abril estava fechado. A queda desta movimentação era inevitável. A esperança de uma melhora significativa da economia só virá com o aumento da oferta de vacinas”, comenta Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Os dados mostram que o movimento na primeira quinzena foi bastante fraco. Comparado com o mesmo período de abril do ano passado, observa-se que houve recuperação de 60% do que foi perdido em abril de 2020, mas ainda assim ficou 40% abaixo de abril de 2019.

Para o economista da ACSP, a expectativa é que com a abertura do comércio não essencial, mesmo que com restrições, o varejo comece a recuperar gradativamente seu movimento, embora as condições da economia não sejam muito favoráveis. A renda da classe média caiu ao longo do período de restrições, e a população de baixa renda, com o fim do Auxílio Emergencial, ficou praticamente sem qualquer fonte de rendimento.

A proximidade do Dia das Mães, a entrada em vigor do novo auxílio, mesmo mais modesto, e a liberação da metade do 13º salário dos aposentados pode contribuir para um melhor desempenho.

“Tudo vai depender dos novos anúncios do governo de São Paulo. Não sabemos se o comércio continuará aberto ou se fechará novamente nas próximas semanas”, diz Solimeo. 

 






Publicidade




Publicidade







Publicidade