Negócios

Vendas do varejo crescem 0,5% em julho


No acumulado dos últimos 12 meses, as vendas caíram 2,8%, de acordo com a Boa Vista SCPC


  Por Estadão Conteúdo 22 de Agosto de 2017 às 13:32

  | Agência de notícias do Grupo Estado


As vendas do varejo cresceram 0,5% em julho na comparação com junho no país, na avaliação com ajuste sazonal, de acordo com o indicador Movimento do Comércio, elaborado pela Boa Vista SCPC. Na comparação com julho de 2016, a alta foi de 0,9%.

Apesar do desempenho positivo nas comparações mensais, tanto na margem quanto anual, no acumulado em 12 meses (de agosto de 2016 até julho de 2017) as vendas caíram 2,8% em relação ao período correspondente anterior.

"Desde novembro de 2016, o indicador do varejo vem gradualmente se recuperando quando observado no período acumulado em 12 meses", de acordo com informações da Boa Vista, por meio de nota.

"Contudo, para as próximas aferições aguardam-se resultados mais otimistas, uma vez que os efeitos da redução de juros iniciada no terceiro trimestre de 2016 devem ser observados com maior intensidade", cita a nota.

SETORES

Entre os setores que tiveram melhor desempenho na margem, o destaque ficou com "móveis e eletrodomésticos", cuja alta foi de 1,6% descontados os efeitos sazonais.

Na sequência aparecem "supermercados, alimentos e bebidas", com avanço de 0,5%; "combustíveis e lubrificantes", com aumento de 0,4%, todos na mesma base de comparação.

O setor de "tecidos, vestuários e calçados" teve desempenho negativo, com queda de 1,4%, enquanto que o setor que inclui "outros artigos" registrou queda de 1,5%, também na comparação mensal com ajuste sazonal.

Na acumulado de 12 meses sem ajuste sazonal, todas as categorias apresentaram queda. O maior recuo ficou com "tecidos, vestuários e calçados" (-7,1%), seguido por "outros artigos" (-5,5%); "móveis e eletrodomésticos" (-3,2%); "combustíveis e lubrificantes" (-3,1%); e "supermercados e alimentos" (-1,0%).

LEIA MAIS: Lojistas do Brás pedem socorro contra o comércio irregular

 

Foto: Fátima Fernandes/ Diário do Comércio