Negócios

Vendas do comércio paulistano sobem 2,3% na 1ª quinzena


Movimento médio no início de fevereiro foi puxado pela compra de bens duráveis de menor valor típicos do período, como ventiladores e secadores de cabelo, de acordo com o Balanço de Vendas da ACSP


  Por Karina Lignelli 18 de Fevereiro de 2020 às 09:00

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Na primeira quinzena de fevereiro, o movimento de vendas do comércio paulistano registrou alta média de 2,3% ante igual período de 2019, segundo o Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Com maior propensão do consumidor à compra de eletroportáteis típicos dos meses de verão, como ventiladores, secadores de cabelo e até fritadeiras e sanduicheiras elétricas, as vendas a prazo cresceram 4,1% no período.

LEIA MAIS:  Em 2019, vendas do comércio varejista crescem 1,8%

"São bens duráveis de menor valor, mas que podem ser parcelados em duas ou até três vezes", afirma Emílio Alfieri, economista da ACSP.

Já as vendas à vista, em geral de itens de vestuário, calçados, artigos de farmácia e adereços para o carnaval,

cresceram menos (0,5%) na comparação com os primeiros 15 dias de fevereiro do ano passado.

"O resultado, um provável reflexo da Sampa Week, sugere que os consumidores preferiram aproveitar os descontos da semana promocional", diz o economista.

Na comparação com a primeira quinzena de janeiro, a alta média foi maior, de 5,3%, também puxada pelas vendas de eletroportáteis (4,8%), no movimento de vendas a prazo, e de itens de menor valor (5,7%) no sistema à vista - uma ligeira alta sazonal, diz Alfieri, já que os primeiros quinze dias de fevereiro tiveram um dia útil a mais.

"É um resultado que está dentro das expectativas. Mas vale lembrar que são dados preliminares. Diferente de 2019, quando a celebração caiu em março, nesta segunda quinzena ainda teremos o Carnaval.”

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia da ACSP com base em amostra da Boa Vista SCPC.

 

FOTO: Reprodução