Negócios

Vendas de imóveis crescem 5,3% de janeiro a outubro


Já os lançamentos de imóveis novos totalizaram 58.971 unidades, alta de 18% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior


  Por Estadão Conteúdo 19 de Dezembro de 2017 às 11:42

  | Agência de notícias do Grupo Estado


As vendas de imóveis novos têm crescido ao longo do ano, ao mesmo tempo em que recuam os cancelamentos de negócios - os chamados distratos - revela pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em parceria com a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).

A pesquisa mostra que entre janeiro e outubro as vendas de imóveis novos cresceram 5,3% ante igual período do ano passado, para 87.618 unidades.

Já os lançamentos de imóveis novos totalizaram 58.971 unidades entre janeiro e outubro de 2017, alta de 18% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior.

Nos últimos 12 meses, tanto os lançamentos (78,8 mil unidades) quanto as vendas (107,5 mil unidades) de imóveis novos cresceram - respectivamente, 15,8% e 5,1% em relação ao registrado no período imediatamente anterior.

Na divisão por segmento, contudo, é possível identificar diferenças no desempenho dos empreendimentos residenciais de médio e alto padrão (MAP) e dos empreendimentos residenciais vinculados ao programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Segundo a pesquisa, os lançamentos residenciais de médio e alto padrão recuaram 9,7% nos últimos 12 meses, enquanto as vendas do segmento ainda acumulam queda de 13,6% frente ao período precedente.

Já o número de lançamentos residenciais do programa MCMV aumentou 25,5% nos últimos 12 meses em relação ao período anterior, tendência positiva acompanhada pelo aumento expressivo no volume de vendas (+29,7%), na mesma base de comparação.

Considerando todos os segmentos, foram contabilizados 35,6 mil distratos nos últimos 12 meses, o equivalente a 33,1% das vendas de imóveis novos. No mesmo período, a relação entre distratos e vendas do segmento médio e alto padrão foi de 45,6% enquanto esse porcentual foi de 18,1% entre empreendimentos MCMV.

Levando-se em conta a safra de lançamentos mais antiga na série histórica (1º trimestre de 2014), a proporção de distratos entre as unidades vendidas do segmento médio e alto padrão é de 34%, porcentual que supera o registrado para a mesma safra de empreendimentos do programa MCMV (20,8%).

Os dados abrangem imóveis novos, dos segmentos residencial, comercial e loteamentos, desenvolvidos por 20 empresas associadas à Abrainc, com atuação espalhada por diversos Estados e concentração na Região Sudeste.

FOTO: Thinkstock