Negócios

Venda de imóveis novos dobra em junho sobre maio em SP


Na comparação com junho de 2015, houve uma queda de 19% no volume vendido, de acordo com o Secovi-SP


  Por Agência Brasil 09 de Agosto de 2016 às 11:09

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O número de imóveis novos vendidos na cidade de São Paulo atingiu 2.097 unidades em junho, volume 19% inferior ao mesmo período do ano passado. Na comparação com maio deste ano, houve um aumento de 98% no volume comercializado (1.059 unidades).

No encerramento do primeiro semestre, as vendas somaram 7.194 imóveis residenciais, com uma retração de 25,5% sobre igual período de 2015 ( 9.658 unidades). Os dados são da Pesquisa do Mercado Imobiliário, do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, o sindicato da habitação.

LEIA MAIS: Incentivo para a construção de imóveis verdes precisa ser ampliado 

O levantamento mostra que, no fechamento de junho, ainda havia 24.609 imóveis à venda, incluindo negócios de unidades na planta, em construção e os estoques de residências prontas para morar, referentes aos lançamentos dos últimos três anos.

A maioria dos negócios ficou concentrada em imóveis com dois dormitórios (1.080), de um total de 9.260 ofertas.

As vendas de imóveis com apenas um quarto totalizaram 672 para 8.010 ofertas. Também prevaleceram negócios referentes à propriedades com tamanho entre 45 metros quadrados e 65 metros quadrados, e preços variando entre R$ 225 mil e R$ 500 mil.

LEIA MAIS: Economia fraca derruba o valor dos imóveis comerciais

Com base em dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), o Secovi-SP informou um crescimento de 86,8% no número de unidades lançadas em junho na capital paulista, comparado ao mês anterior, totalizando 2.178 unidades residenciais. Sobre junho de 2015, foi registrada alta de 4,1%.

No semestre, os lançamentos foram 42,8% menores, com um total de 5,731 unidades, ante 10.027 entre janeiro e junho de 2015.

Celso Petrucci, economista do Secovi-SP, atribuiu, por meio de nota, o aquecimento às ofertas com preços mais baixos de unidades populares e também ao tamanho dos imóveis.

A maioria dos lançamentos (81%) foi de imóveis de até R$ 500 mil. Boa parte deles (58,6%) está localizada na zona leste da cidade.

Só em junho surgiram 12 empreendimentos com média de 182 unidades, enquanto de janeiro a maio foram registrados 54 empreendimentos com 66 unidades.

O economista também relacionou o aumento das vendas à melhora de confiança do consumidor.

Emílio Kallas, vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos do Secovi-SP, informou que o setor ainda enfrenta dificuldades para lançar novos empreendimentos, em razão das alterações do Plano Diretor Estratégico e a Lei de Uso e Ocupação do Solo.

A projeção do presidente do sindicato, Flavio Amary, é de queda de 20% a 25% neste ano nos lançamentos que devem atingir entre 17 mil e 18 mil unidades.

Quanto às vendas, ele acena com um recuo de 15% (entre 16 mil e 17 mil unidades), como reflexo das dificuldades de financiamentos.

LEIA MAIS: Mercado imobiliário chega ao pior patamar desde 2004

Foto: Thinkstock







Publicidade




Publicidade






Publicidade