Negócios

Veja o que pode ou não abrir na quarentena em SP


Novo prazo de restrição determinado pelo governo estadual vai até o próximo dia 22 de abril, e os estabelecimentos que não cumprirem podem ser lacrados ou até terem o alvará cassado


  Por Karina Lignelli 06 de Abril de 2020 às 17:05

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


O governo de São Paulo prorrogou o período de quarentena em todo o estado desta terça-feira (08/04) até o próximo dia 22 de abril. As restrições serão mantidas sem flexibilizações para nenhuma atividade, e quem desrespeitar a quarentena e fizer aglomerações será primeiro advertido pela polícia, ou dependendo do caso, serão tomadas medidas coercitivas que incluem prisão.

LEIA MAIS: Guia para reabertura do comércio 

Já a Prefeitura de São Paulo também afirmou ter lacrado 46 estrabelecimentos por descumprimento das medidas de isolamento, mas sem aplicar multas. Porém, em caso de reincidência, o prefeito Bruno Covas disse que, além de lacrar, também será cassado o alvará de funcionamento. 

O decreto estadual determina o fechamento do comércio e de serviços considerados não-essenciais, o que inclui bares, restaurantes e cafés, que só podem funcionar com serviços de delivery. Já os considerados essenciais, como farmácias e supermercados, podem abrir as portas.   

FOTO: Karina Lignelli