Negócios

Varejo paulista tem quarto resultado positivo


No período acumulado de janeiro a setembro, o setor acumula alta de 3,2% no território paulista, sobre igual período de 2016, de acordo com o boletim AC Varejo, da ACSP


  Por Redação DC 04 de Dezembro de 2017 às 11:38

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Depois de um início de ano com resultados negativos, o volume de vendas do varejo ampliado registrou, em setembro, o quarto resultado positivo consecutivo de 2017 (1,1%), na comparação com o mesmo período de 2016, de acordo com a pesquisa ACVarejo da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O varejo ampliado inclui automóveis e material de construção. O levantamento também mede o desempenho do varejo restrito.

Para Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), a elevação de setembro ? mesmo que pequena ?, dá prosseguimento a um movimento positivo que teve início em junho deste ano, “o que indica que a recuperação vem ganhando força, em decorrência do aumento da renda e do emprego e da maior disponibilidade de crédito, com taxas de juros mais baixas e maiores prazos de financiamento”.

No período acumulado de janeiro a setembro, o setor acumula alta de 3,2% no território paulista, sobre igual período de 2016.

Atividades

Em setembro, oito das nove atividades econômicas consideradas na pesquisa ACVarejo expandiram suas vendas em relação ao mesmo período de 2016: lojas de departamento, eletrodomésticos e eletrônicos (12,6%); concessionárias de veículos (10,4%); lojas de móveis e decorações (10,2%); autopeças e acessórios (6,4%); supermercados (4,6%) farmácias e perfumarias (2,9%); lojas de material de construção (2,8%); lojas de vestuário, tecidos e calçados (2%). Na contramão, o ramo “outros tipos de comércio varejista” perdeu 14,6% ? ele abrange combustíveis e lubrificantes, por exemplo.

Regiões

Na mesma base de comparação, o comércio do Vale do Paraíba teve o melhor desempenho em setembro (11,3%), seguido pelas regiões de Jundiaí (6,8%), Sorocaba e Vale do Paranapanema (5,7%), Ribeirão Preto, Baixa Mogiana e Franca (5,2%), Campinas (2,7%) e Marília (2,7%).

As lojas registraram perdas de vendas nas regiões Metropolitana Oeste (-6,7%), Metropolitana ABC (-3,5%), Presidente Prudente ( -2,1%) e São Paulo (-0,4%).

A pesquisa ACVarejo é elaborada mensalmente pelo Instituto de Economia da ACSP com informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Abrange as seguintes atividades: autopeças e acessórios; concessionárias de veículos; farmácias e perfumarias; lojas de departamentos, eletrodomésticos e eletroeletrônicos; lojas de material de construção; lojas de móveis e decorações; lojas de vestuários, tecidos e calçados; outros tipos de comércio varejista; supermercados.
 
Clique para ler na íntegra:
AC VAREJO (vendas e faturamento - varejo ampliado e varejo restrito - Estado de SP e de cada região)