Negócios

Varejo deve apontar alta de 4,6% em junho


Projeção da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) contempla o varejo restrito, que exclui comercialização de veículos e de material de construção


  Por Redação DC 24 de Abril de 2018 às 09:47

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) projeta crescimento de 4,6% nas vendas do comércio nacional no período de 12 meses terminados em junho de 2018.

“Ao longo deste primeiro semestre, o ritmo de recuperação do setor será intensificado, refletindo a melhora do poder aquisitivo das famílias ?dado que a inflação está mais baixa ?, a recuperação do emprego e a maior disponibilidade de crédito”, afirma Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). 

Na variação acumulada em 12 meses, o varejo avançou 2,4% em janeiro e 2,8% em fevereiro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo da ACSP aponta avanços de 3,9% em março, 4,1% em abril e 4,5% em maio. A variação em 12 meses elimina reflexos do chamado efeito-calendário, como feriados e quantidade de dias úteis.

Na avaliação de Burti, “o período pré-eleitoral tende a influenciar menos o consumo das famílias em 2018; a questão política influencia mais o humor do empresariado”.

LEIA MAIS: Vendas do varejo crescem 3,6% na primeira quinzena de abril

Ele lembra que a base fraca de comparação ajuda para a estimativa positiva de alta de 4,6% em junho, já que no mesmo mês do ano passado o comércio nacional caiu 3%.

A projeção tem como base indicadores antecedentes construídos pelo Instituto de Economia da ACSP a partir de dados do IBGE e do Índice Nacional de Confiança/ACSP. Contempla o varejo restrito ?sem considerar, portanto, as vendas de automóveis e materiais de construção. 

IMAGEM: Thinkstock