Negócios

Uma ponte para os brasileiros fecharem negócios com a China


A Associação Comercial de São Paulo firma parceria para promover relações comerciais entre empresários e o distrito de Longhua, em Shenzen, na China


  Por Redação DC 11 de Maio de 2016 às 19:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Poderoso centro econômico e industrial da China, a cidade de Shenzhen tem uma população de 10,7 milhões de habitantes e encerrou 2015 com um Produto Interno Bruto de aproximadamente US$ 270 bilhões. Se fosse um país, Shenzhen seria a quadragésima economia mundial – à frente de Portugal e Chile. E os empresários desta forte cidade estreitaram os laços com os empresários paulistas que fazem parte da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) nesta quarta-feira (11/05).  

O compromisso foi oficializado com a assinatura de um Memorando de Entendimento entre a São Paulo Chamber Of Commerce, órgão de comércio exterior da ACSP, e o Comitê de Gestão de Longhua. 

O encontro de cooperação econômica e comercial  tratou de oportunidades de negócio entre empresários de São Paulo e do distrito de Longhua, em Shenzhen, na sede da ACSP. 

O memorando reafirmou a existência de um acordo de cooperação para promover um estável clima de investimentos e troca de informações comerciais entre as duas entidades. 

SENNA COM A COMITIVA DO DISTRITO DE LONGHUA

Participaram do evento José Cândido Senna, coordenador geral do Projeto Exporta São Paulo; Song Yuanxiong, diretor da Associação dos Empresários de Guangzhou no Brasil; Dai Bin, diretor-geral adjunto do Comitê de Gestão de Longhua e vice-secretário do Comitê do Partido Trabalhista de Longhua e Yan Huang, vice-diretora adjunta da administração de Longhua. 

De acordo com Yan, o empresariado das duas regiões podem ampliar as relações comerciais nos setores de eletrônica e informática, recursos energéticos e logística

“Longhua possui nove parques industriais e é um polo de inovação tecnológica. O distrito representa 47% das solicitações de patentes da China.”

O distrito também mantém fábricas de grandes empresas, como a Foxconn, responsável por produzir aparelhos e acessórios das marcas Apple, Sony e Nokia.

Nas palavras de Senna, a assinatura do Memorando representa o início de novas ações para fomentar a relação comercial entre Brasil e China.

“Shenzen é uma das regiões mais dinâmicas da China”, afirma Senna. “A cidade tem um porto eficiente, que pode ser porta de entrada de produtos brasileiros para todo mercado chinês.” 

SAIBA MAIS: Pequenas e médias empresas ganham força no jogo global

FOTO: VISTA DA CIDADE DE SHENZHEN/THINKSTOCK