Negócios

Um shopping virtual só para os pequenos negócios


O Buscapé, em parceria com o Sebrae, lança site de pesquisa de preços de produtos de MPEs


  Por Karina Lignelli 16 de Setembro de 2015 às 19:49

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Um “shopping” virtual só para as pequenas empresas aparecerem e venderem mais. A Buscapé Company lança nesta quarta-feira (16/09) uma plataforma na internet formada só por lojistas de menor porte - o “shopping dos pequenos”, em parceria com o Sebrae.

A iniciativa faz parte do “Movimento Compre do Pequeno Negócio”, lançado em agosto. 

Ao entrar no site, o consumidor poderá buscar os preços de produtos de cerca de 5 mil lojas virtuais de pequeno porte cadastradas no Buscapé.

Em entrevista ao Diário do Comércio, o Chairman da Buscapé, Romero Rodrigues, disse que o “shopping dos pequenos” é uma espécie de “versão à parte" do buscador, para dar oportunidade a quem pretende ampliar seu público. 

“Se o consumidor perguntar: ‘onde está o pequeno negócio?’, vamos ajudá-lo a encontrar, para que possa comprar e apoiar o Movimento”, afirmou, durante o evento “Loja na terra ou na nuvem?”, realizado na última terça-feira (15/09) na Associação Comercial de São Paulo (ACSP).  

De acordo com o Sebrae, os pequenos negócios representam 95% das empresas brasileiras, respondem por um terço de tudo o que é vendido no país e geram mais da metade dos empregos com carteira assinada. Ou seja, comprar do pequeno negócio ajuda a fortalecer a economia. 

Segundo Luiz Barretto, presidente do Sebrae, a internet é um ambiente promissor para as MPEs, pois a concorrência é menos desigual. “Mas o lojista precisa se preparar para fazer um bom atendimento e entregar no prazo”, afirma. 

Dados do 32º Relatório Webshoppers, da E-bit/Buscapé, mostram que a participação dos pequenos negócios no faturamento do e-commerce é de apenas 10%. A estimativa é que o setor alcance uma receita de R$ 41 bilhões em 2015.

Apesar da baixa participação em termos de volume financeiro, em número de empresas, as pequenas representam 70% de todo o setor. 

“Com o shopping virtual formado apenas pelos pequenos negócios, a expectativa é aumentar essa participação”, completa o presidente. 

MEIs

Além dos pequenos negócios, a ideia também é incentivar o consumidor a comprar dos Microempreendedores Individuais (MEIs). 

Segundo Rodrigues, no próprio Qipu – o aplicativo dos MEIs lançado pelo Buscapé e pelo Sebrae em maio – haverá um “Diretório dos MEIs”.
 
“Em um link no próprio Qipu, o consumidor encontrará o eletricista, a costureira e o motoboy mais próximos. A ideia é incentivar o consumidor brasileiro a comprar mais produtos e serviços do MEI também”, disse.  

Hoje, o aplicativo tem cerca de 120 mil usuários e é considerado uma espécie de “braço direito” do MEI porque auxilia a emitir notas fiscais, lembra dos impostos a pagar, avisa se a empresa está próxima de ser excluída do Simples entre outras atribuições.   

O usuário do Qipu ganha créditos para anunciar e usar os produtos de publicidade online do buscador, e consegue aparecer nos resultados em destaque.

Hoje, o número de usuários vem crescendo, em média, na faixa de mil a 2 mil novos MEIs por dia, afirmou Rodrigues. 

“Chegamos àquele ponto em que um MEI começa a falar para outro (do Qipu), e isso está gerando um grande boca a boca. A ideia agora é reunir estatísticas que mostrem o quanto o uso do Qipu ajuda a reduzir a inadimplência dos MEIs”, concluiu.

*Com informações da Agência Sebrae     

Atualizado em 17/09 às 19h30