Negócios

Setor de serviços acumula queda de 5,1% nos cinco primeiros meses


A queda, em maio passado, atingiu 6,1%, a pior para o mês desde 2012, início da série histórica da pesquisa do IBGE


  Por Agência Brasil 13 de Julho de 2016 às 09:34

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


O volume de serviços teve uma queda de 6,1% em maio deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. É o pior resultado para meses de maio desde o início da série histórica em 2012.

É também a segunda maior queda da série, perdendo apenas para o recuo de 6,4% de novembro de 2015.

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta quarta-feira (13/07) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os serviços caíram 6,1% na comparação com maio do ano passado, 5,1% no acumulado do ano e 4,8% no período de 12 meses.

LEIA MAIS: Preço de serviços recua em São Paulo

A receita nominal do setor de serviços cresceu 0,4% entre abril e maio deste ano. Na comparação com maio de 2015, houve queda de 0,7%. Nos acumulados do ano e de 12 meses, a receita teve altas de 0,2% e 0,4%, respectivamente. A receita nominal não considera os efeitos da inflação sobre o valor dos serviços.

LEIA MAIS: Comércio e serviços registram alta em indicador de confiança

Apesar da queda global do volume na passagem de abril para maio, apenas um dos seis segmentos dos serviços teve desempenho negativo neste período: os serviços de comunicação e informação, que caíram 0,2%, resultado puxado pelas telecomunicações (-0,2%) e tecnologia da informação (-1,2%).

Os serviços prestados às famílias mantiveram-se estáveis. Os demais tiveram crescimento: serviços profissionais, administrativos e complementares (0,7%), transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (0,5%), outros serviços (1,2%) e atividades turísticas (0,4%).

IMAGEM: Thinkstock

 





Publicidade





Publicidade





Publicidade