Negócios

Rodadas de negócios reúnem 450 empresários na Distrital Sudoeste da ACSP


O 6º Fórum de Desenvolvimento e Competitividade Empresarial foi realizado no salão social do São Paulo. O tema principal foi a inovação


  Por Wladimir Miranda 23 de Outubro de 2018 às 17:22

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


Quatrocentos e cinquenta empresários lotaram o salão social do São Paulo, no Morumbi, na noite de segunda-feira, 22/10, para participar de rodadas de negócios e estreitar o relacionamento com universitários. Eles participaram do 6º Fórum de Desenvolvimento e Competitividade Empresarial da Região Sudoeste, organizado pela Distrital Sudoeste da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). 

No evento foram realizadas palestras de Guilherme Arradi, Coordenador do Centro de Referência em empreendedorismo, Tecnologia e Economia criativa do Sebrae-SP, Eduardo Zugaib, profissional de comunicação e desenvolvimento humano e escritor, e de Reginaldo Pereira, apresentador do programa Inova 360, da Record News.

Este ano o tema do encontro foi inovação.

Guilherme Arradi, palestrante do Sebrae/SP, deu orientações para se empreender bem. Ele destacou a importância de o empresário montar uma equipe eclética. "Tenha uma equipe com habilidades complementares. Se você é muito técnico, procure alguém de negócios, de vendas. Se você é alguém de vendas, procure uma pessoa especializada em tecnologia", disse.

Desmistificou ainda a ideia de que inovação é gerada unicamente com uso de tecnologia. "A inovação vem do embate de ideias. Não se pode olhar para a tecnologia como se ela fosse um fetiche. As tecnologias permitem que você crie, com pouco custo, para chegar a um estágio maior. A tecnologia tem de ter um sentido”, afirmou.

A empresária Kelly Griffo Medeiros, há 15 anos no ramo imobiliário, participou das rodadas de negócios. Segundo ela, “nos estados Unidos este tipo de evento é comum, mas aqui no Brasil é uma novidade que está tendo muito sucesso”. Ela é vice-diretora superintendente da Distrital Sudoeste da ACSP. 

Sua empresa dá suporte para os empreendedores estrangeiros que pretendem investir no Brasil.

Com 22 funcionários, a Griffo & Medeiros, está localizada no Butantã. Ela começou como consultora, com o pai, e já teve 70 funcionários.

“A empresa já viveu um grande momento e, por causa da crise econômica, teve de diminuir despesas. Mas já superamos o olho do furacão. Sobrevivemos. Hoje a situação está bem mais tranquila”, diz ela.

O faturamento anual da empresa é de R$ 5 milhões. A despesa da Griffo & Medeiros é de R$ 500 mil por ano.
Foi Kelly quem trouxe dos Estados Unidos a ideia de fazer rodadas de negócios para a Distrital Sudoeste.

André Borges é construtor civil do bairro da Saúde, na Zona Sul de São Paulo. Ele foi ao Fórum para “alargar os horizontes”.

Tem dez funcionários. “Já tive 30 funcionários. E a crise nos obrigou a diminuir a folha de pagamentos”.

O faturamento anual da empresa é de R$ 2 milhões. André também começou a trabalhar em casa. “Agora estou estabilizado, pronto para crescer de novo. Espero que a situação melhore com a estabilização do quadro político”, disse.

Paulo Kev é proprietário da Kev Energia Integrada do Brasil Ltda, administradora de empresas do ramo energético. Funcionando desde 1994, tem um capital de R$ 10 milhões. Engenheiro e administrador de empresas, foi ao Fórum para “fazer muitos negócios”.

Rafaello Colangelo é representante comercial do jornal Destak, um dos patrocinadores do Fórum. Com tiragem de 150 mil exemplares, o jornal é entregue de segunda à sexta-feira nos pontos mais movimentados da Capital de São Paulo. Cada exemplar do Destak é lido, em média, por quatro pessoas.

Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), disse na abertura do evento que o Fórum de Desenvolvimento e Competitividade Empresarial “é um orgulho para São Paulo, por facilitar o relacionamento de micro e pequenos empreendedores”.

Giacinto Cosimo Cataldo, vice-presidente da ACSP e da Facesp, e coordenador geral das distritais, ressaltou a importância dos micro e pequenos empresários neste momento de definição política do país.

“Não importa o caminho que este país vai trilhar. Tenho certeza que quem vai tirar o Brasil desta situação, com 13 milhões de desempregados, seremos nós, os empresários. Todos estão aqui em busca de negócios. Este é o Brasil de verdade”, afirmou.

Quem organizou o evento foi Ricardo Granja, diretor superintendente da Distrital Sudoeste e prefeito regional do Butantã. Ele ressaltou a importância de proporcionar aos empresários a oportunidade de inovar.

 

FOTO: Wladimir Miranda/Diário do Comércio