Negócios

Quem vai ganhar presente neste Natal


Estudo revela que 35,6% dos consumidores pretendem comprar presentes para si mesmos e que as mães, os namorados e os filhos devem ser os mais presenteados no dia 25 de dezembro


  Por Redação DC 18 de Dezembro de 2019 às 12:32

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Segundo os da ABComm, neste Natal o comércio eletrônico brasileiro deve faturar 18% a mais que no mesmo período de 2018, com projeção de vendas em torno de R?11,8 bilhões. O cenário, portanto, é otimista e a Social Miner - empresa que une dados de consumo, tecnologia e humanização para ajudar sites a otimizarem seus resultados - divulgou sua tradicional pesquisa de intenção de compra para o evento, feita em parceria com a Opinion Box.

O material revela, por exemplo, que enquanto 81,53% dos consumidores afirmaram pretender ir às compras para o Natal, apenas 6,63% disseram que não vão comprar. Além disso, 4,12% afirmaram já ter comprado os presentes e 7,72% ainda estão indecisos. Como dica para as marcas, o público destacou o "preço" (79,3%), as "promoções" (74,1%) e a "facilidade no pagamento" (43,9%) como fatores decisivos na hora de escolher uma loja nesta época do ano.

Por outro lado, a "falta de opções do produto" (cor, tamanho ou modelo), o "valor do frete" e "não confiar que as promoções são reais" foram os itens apontados por 60,3%, 47,7% e 40,8% do público, respectivamente, como os principais motivos para que o consumidor desista das compras. Vale destacar que, nestes casos, a soma excede 100% uma vez que os respondentes da pesquisa puderam selecionar mais de uma opção.

Outro dado relevante mostra que apenas 25,2% dos consumidores engajados com a data pretendem pesquisar e comprar presentes exclusivamente em lojas físicas. Portanto, 74,8% do público deve ser influenciado pelo universo online em alguma etapa da sua jornada de compra, o que prova a importância da adoção de estratégias digitais por parte das marcas, a fim de que tenham uma presença forte neste ambiente.

O estudo revela ainda que 35,6% dos consumidores pretendem comprar presentes para si mesmos e que as mães, os namorados e os filhos devem ser os mais presenteados no dia 25 de dezembro, sendo os escolhidos por 59,9%, 57,8% e 48% dos respondentes da pesquisa, respectivamente. Já quando questionados sobre a quantidade de presentes, 34% das pessoas afirmaram que pretendem comprar cinco ou mais itens; 17%, quatro; 21,5%, três; 18,4%, dois; e apenas 9,1%, um.

Entre as categorias mais procuradas neste Natal, Moda e Acessórios vem em primeiro lugar, tanto para homens (17,15%), quanto para mulheres (21,25%), seguido de Eletrônicos para eles (13,22%) e Beleza e Saúde para elas (14,76%). Em terceiro lugar, para ambos, vêm Brinquedos, com 11,46% para o gênero masculino e 14,24% para o feminino.

Quanto à fidelidade do consumidor, 20,18% disse que pretende comprar os presentes nas mesmas lojas em que compraram no ano passado. Contudo, 66,77% dos consumidores ainda está na dúvida, sendo esta uma oportunidade para que as lojas retenham seus clientes.

Neste sentido, a pesquisa indica que para fazer com que as pessoas voltem a comprar, as marcas deveriam investir na "confiança", que aparece no topo da lista, essencial para 30,8% dos consumidores, seguida do "preço", com 27,7%, e da "qualidade dos produtos", com 15,1%.

Em relação ao investimento nas compras de Natal, ao mesmo tempo que 17% pretende direcionar entre R?50 e R?100 para os presentes, outros 16,89% tem intenção de gastar mais de R?500; e 16,08% entre R?100 e R?200. A maioria (66,52%) das pessoas, no entanto, pretende pagar pelos presentes sozinhas e, entre as que pretendem dividir, 17,22% escolheu o marido e 9,92% a esposa.

Entre as principais razões para compartilhar o valor do presente com outras pessoas, a "economia de custos" se destaca, com 32,97%, seguida da possibilidade de comprar um presente melhor, que é a opção de 29,48% dos consumidores.

Por fim, na hora de pagar a conta, 43,6% responderam que pretendem utilizar o cartão de crédito e 31,8%, dinheiro. Em seguida aparece o cartão de débito, opção de 17,9%, e o boleto, com 5,8% com o boleto. Uma curiosidade, aliás, é que 21,74% das pessoas que pretendem pagar pelo boleto devem investir mais de R?500 nas compras de Natal.

Quando questionados sobre o parcelamento, 86,3% dos consumidores afirmaram que devem parcelar suas compras de Natal, sendo que destes, 21,89% em 3 vezes; 19,89% em 5 vezes e 19,48% em 10 ou mais vezes.

FOTO: Pixabay