Negócios

Quem é a nova dona da Hering


Grupo Soma, gigante do varejo de moda que comprou a Cia. Hering, é dono de um amplo leque de marcas. As duas mais famosas e rentáveis são a Farm e a Animale


  Por Mariana Missiaggia 27 de Abril de 2021 às 19:13

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


Após rejeitar uma proposta bilionária da Arezzo, a Cia Hering fechou acordo com o Grupo Soma – dono de marcas como Animale, Farm e Maria Filó - em um negócio que totaliza R$ 5,1 bilhões, em dinheiro e ações.

No ínicio do mês, a Hering antecipou a possibilidade de uma futura aquisição ao divulgar ao mercado que havia recusado proposta de R$ 3,3 bilhões feita por outra gigante da moda, a Arezzo.

O anúncio trouxe muita especulação e até a expectativa de que a própria Arezzo melhoraria a oferta. No ano passado, a companhia controlada pela família Birman comprou a marca de roupas Reserva, complementando um portfólio que já contava com Arezzo, Schutz, Anacapri, Alexandre Birman e Vans. No entanto, no caso da Hering, o Grupo Soma saiu na frente em uma negociação que teria durado apenas quatro dias.

Com sede no Rio de Janeiro e mais de 5 mil funcionários, o Grupo Soma é dono de marcas que contemplam públicos feminino, masculino e infantil. As duas mais famosas e rentáveis são a Farm, que registrou faturamento bruto de R$ 614 milhões em 2020 e a Animale, que faturou R$ 398 milhões no mesmo período.

No portfólio da empresa ainda estão as grifes A.Brand, Cris Barros, Fabula, Farm Global, Foxton, Maria Filó e Off Premium. Com a fusão entre Soma e Hering surge a 5ª maior empresa do setor de vestuário brasileiro.

De acordo com Iara Silva, professora de branding da ESPM, fusões, crescimento dos marketplaces e consolidação da tecnologia omnichannel são algumas das tendências que revolucionarão o varejo no Brasil e no mundo.

A especialista explica que a partir de agora, veremos mais empresas integradas, cujos negócios se complementam a fim de aumentar a eficiência e ganhar escala.

“Um grande varejista de roupas, por exemplo, pode ter em seu portfólio a empresa que fabrica a matéria-prima. A loja que cria e vende as roupas pode optar por atender mercados com diferentes perfis socioeconômicos, com marcas diversas.”

O crescimento dos marketplaces também é apontado por Iara Silva como um sinal de consolidação no ambiente digital. O Magalu, por exemplo, tem moda, com as marcas Zattini e Netshoes, como um de seus pilares de crescimento daqui para a frente. Recentemente, a Lojas Americanas comprou o grupo Uni.co que conta com as marcas Imaginarium, Puket, Mind e Lovebrands. 

MAIS SOBRE O GRUPO SOMA

Ao estrear na Bolsa de Valores no último mês de julho, após levantar R$ 1,82 bilhão com a oferta inicial de ações, a companhia revelou que pretendia utilizar os recursos obtidos para adquirir novas marcas. Poucos meses depois, anunciou a compra da grife de moda feminina Nati Vozza, que faturou R$ 157 milhões em 2020.

Somando todos os ativos, o Soma contabilizou receita líquida de R$ 1,2 bilhão em 2020, superior à da Cia. Hering (R$ 1,07 bilhão).

Embora atuem no segmento de moda e tenham portes semelhantes, as duas empresas se diferenciam nos modelos de negócios. Mesmo tentando acelerar sua representatividade digital durante a pandemia, a maior parte das vendas da Hering ainda vem do varejo tradicional, suportado por uma rede com mais de 700 lojas no Brasil e 20 no exterior. Já o Soma até então atuava exclusivamente num segmento premium, além de ter uma operação digital mais madura com uma operação física bem menor - 247 lojas próprias e 17 franquias.

Enquanto a receita do comércio eletrônico do Grupo somou R$ 666 milhões em 2020, a operação de e-commerce da Hering contabilizou R$ 181 milhões.

No início do ano, a Hering anunciou um investimento recorde de R$ 131 milhões para 2021, destinados a programas de tecnologia focados na reestruturação da arquitetura de sistemas e dados, desenvolvimento de infraestrutura, plataformas digitais e estratégia de inovação. 

No comunicado anunciando o negócio, as empresas citam que um dos pilares centrais do acordo é a “utilização e difusão de uma cultura digital e implantação de produtos digitais da Soma Labs (braço de inovação digital do grupo) em todas as etapas da cadeia de valor da Hering”.

Com a negociação ficou estabelecido que os acionistas da Hering receberão R$ 9,63 por ação e 1,62 ação do Grupo Soma. Atualmente, segundo formulário de referência mais recente da Cia. Hering, o capital social da empresa está divido em 162.533.937 de ações ordinárias, o que corresponde a cerca de R$ 1,5 bilhão em pagamento em espécie.

 






Publicidade






Publicidade









Publicidade