Negócios

Produção industrial tem nova queda recorde


A desaceleração foi maior no setor automobilístico, em contraponto ao avanço da indústria alimentícia


  Por Estadão Conteúdo 02 de Outubro de 2015 às 10:03

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A queda de 9% na produção industrial em agosto ante agosto de 2014 é a maior para o mês desde o início da série da Pesquisa Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF), iniciada em 2003.

Além disso, considerando todos os meses, trata-se da 18ª taxa negativa consecutiva, informou nesta sexta-feira (2/10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já o recuo de 1,2% na produção em agosto ante julho foi o mais intenso para o mês desde 2011, quando houve retração de 2,1% na atividade na margem, segundo o IBGE.

O recuo de 1,2% na produção industrial em agosto ante julho foi acompanhado por 14 dos 24 ramos investigados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O principal impacto negativo veio de veículos, cuja produção recuou 9,4% no período. Em julho ante junho, o setor, após uma sequência de nove quedas, teve crescimento de 1,9% - que não se sustentou no mês seguinte.

Também tiveram quedas importantes na atividade na passagem de julho para agosto os segmentos de produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (-1,6%), produtos de metal (-3,0%), metalurgia (-1,3%), calçados e couro (-3,6%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-2,5%) e outros equipamentos de transporte (-3,4%).

No lado positivo, a maior influência veio dos produtos alimentícios, cuja atividade avançou 2,4% em agosto ante julho (após queda de 5,4% em julho ante junho). A produção de bebidas, por sua vez, avançou 4,3%, após queda de 6,1% na mesma base de comparação. A indústria extrativa teve alta de 0,6% em agosto ante julho, segundo o IBGE

A produção da indústria de bens de capital caiu 7,6% em agosto ante julho, enquanto na comparação com agosto de 2014 o indicador mostrou queda de 33,2%.

No acumulado do ano, houve queda de 22,4% na produção de bens de capital em relação a igual período de 2014. Já no acumulado em 12 meses até agosto, o recuo é de 18,4%.

Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 0,9% na produção na passagem de julho para agosto. Já na comparação com agosto do ano passado, houve recuo de 9,1%. No acumulado do ano, a queda é de 8,8%, enquanto a taxa em 12 meses é de -6,5%.

Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de agosto exibiu redução de 4,0% na produção ante julho e queda de 14,6% em relação a igual mês de 2014. Entre os semiduráveis e os não duráveis, a produção caiu 0,3% em agosto ante julho e recuou 7,6% na comparação com agosto do ano passado.

No caso dos bens intermediários, o IBGE informou que a produção aumentou 0,2% em agosto ante julho. Em relação a agosto de 2014, a atividade caiu 5,5%. No acumulado do ano, o instituto observou queda de 3,7% na produção da categoria, enquanto a taxa em 12 meses ficou em -3,4%.

IMAGEM: ThinkStock