Negócios

Produção de vinho avança estimulada por pequenos fabricantes


São produzidos no país 200 milhões de litros, além de 120 milhões de litros de espumante, que movimentam mais de R$ 9 bilhões por ano


  Por Agência Sebrae 30 de Maio de 2018 às 15:26

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


Foi-se o tempo em que apenas rótulos de vinhos estrangeiros ganhavam visibilidade pela qualidade. O Brasil soube aproveitar a diversidade geográfica para alcançar uma vitivinicultura totalmente original, se firmando como o 6º maior produtor de vinho no Hemisfério Sul e o 14º do mundo.

O setor celebra o Dia do Vinho, que este ano cai no dia 3 de junho, com 200 milhões de litros, além de 120 milhões de litros de espumante, movimentando mais de R$ 9 bilhões por ano.

Hoje, a área de produção vitivinícola no Brasil soma 79,9 mil hectares. São mais de 1,1 mil vinícolas espalhadas pelo país, a maioria instalada em pequenas propriedades, média de dois hectares de vinhedos por família.

Estimasse que 90% das vinícolas são micro ou pequenas empresas. Só no Rio Grande do Sul, região que mais produz, das 670 vinícolas ativas, 90% são de pequeno porte.

“As pequenas vinícolas vêm contribuindo para a melhor performance do vinho no cenário nacional, à medida que investem em tecnologias de gestão, de produção e comercialização da bebida com diferenciais regionais”, disse Heloisa Menezes, diretora técnica do Sebrae.

O consumo interno, porém, precisa ser estimulado para que a produção brasileira possa crescer e fazer frente à forte concorrência dos importados, destacou a diretora do Sebrae.

Cada região do país desenvolveu uma especialidade, imprimindo nos rótulos a cultura e tipicidade de cada localidade. É o caso da Vinícola Goiás, localizada no município de Itaberaí, em uma altitude de 830 metros.

Em 1998, Danilo Razia chegou ao município com o propósito de transformar a paisagem do cerrado por meio os vinhedos. Foram pioneiros na produção de suco de uva integral no estado.

Com o sucesso, começaram a produzir vinho em 2011. “Já trabalhávamos com a uva e observamos uma demanda alta dos consumidores por vinhos”, conta Anis Razia, filho de Danilo.

De junho a agosto, as uvas estão no período de maturação, quando as frutas colhidas e processadas para elaboração dos produtos.

A vinícola produz três rótulos: bordô seco e suave, vinho branco da niágara branca e o lançamento de 2018, o rosé da niágara rosa.

O espaço recebe de 80 a 120 pessoas por fim de semana. Quem visita o local conhece o vinhedo e o espaço de processamento da uva, além de poder degustar os vinhos no espaço gourmet.

Além de saborosa, estudos comprovam que a bebida oferece diversos benefícios para a saúde. A uva e seus derivados – como o vinho e o suco integral – vão além da nutrição, atuando na prevenção, proteção e combate a doenças.

Entre eles, está a prevenção de doenças cardiovasculares e redução da pressão arterial, diminuição dos índices do mau colesterol (LDL) e aumento do bom colesterol (HDL) no sangue, redução de danos oxidativos em estruturas cerebrais - podendo reduzir o risco do aparecimento de doenças neurodegenerativas como o Alzheimer e Parkinson, melhora na cognição e na memória e ajuda na prevenção de alguns tipos de câncer, como os de pulmão, intestino, mama e cólon.

IMAGEM: Thinkstock