Negócios

Por que a Estrela apostou em um novo segmento


Tradicional marca de brinquedos lançou a Estrela Beauty, uma linha de maquiagem e acessórios para crianças. Itens são vendidos exclusivamente na loja da marca, no Shopping Morumbi


  Por Mariana Missiaggia 13 de Julho de 2018 às 08:00

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


Depois de 81 anos concentrada na produção de brinquedos, a Estrela acaba de lançar uma nova linha de maquiagens e acessórios direcionada para o público infantil, batizada de Estrela Beauty.

Com uma loja conceito com ateliê de maquiagem para livre experimentação no Morumbi Shopping, em São Paulo, a companhia quer ser agora, pioneira na categoria para crianças, ainda inexplorada no Brasil.

Diferentemente de marcas como Natura, Avon e O Boticário, que contam com linhas de cosméticos infantis, como xampu, sabonetes e loções, a Estrela foca no que chama de conceito play make-up.

São cerca de 56 itens, como batons, gloss, blush, sombras, gel antisséptico, sombra para cabelos e esmaltes em várias cores – tudo desenvolvido exclusivamente para as pequenas consumidoras com mais de cinco anos.

LEIA MAIS: Aos 70 anos marca de brinquedos se reinventa

Os produtos são dermatologicamente testados, hipoalergênicos, sem fragrância e sem testes em animais. A marca também traz uma linha de acessórios que conta com bolsas, pincéis e maletas para guardar os itens, além de máscaras de dormir, tocas de banho e fones de ouvido.

TILKIAN, PRESIDENTE DA ESTRELA, QUER AMPLIAR RELAÇÃO
DA MARCA COM GERAÇÕES MAIS VELHAS

A Estrela Beauty, de acordo com o empresário Carlos Tilkian, presidente da companhia, dá continuidade ao propósito da marca: desenvolver produtos que estimulam as crianças a viver o mundo de sonhos e fantasias.

Tilkian diz que a escolha da nova categoria de produtos veio depois de algumas pesquisas feitas com os próprios clientes da marca. Segundo o executivo, esses estudos mostraram que a marca tinha elasticidade e credibilidade para avançar em novas áreas.

O lançamento também é uma estratégia da companhia para ampliar a relação da marca com gerações mais velhas, especialmente as meninas com mais de dez anos, que perdem o interesse pelas bonecas cada vez mais cedo.

“Diagnosticamos um interesse crescente das crianças por maquiagem. Consultamos psicólogos e mães para entender como transformar isso em brincadeira e percebemos que os pais associam muita credibilidade à Estrela”, diz.

Para não criar uma conexão direta com a vaidade de forma precoce – preocupação comum entre os pais, Tilkian explica que a companhia pensou em embalagens estampadas com mensagens otimistas para inspirar e empoderar as crianças, encorajando-as a explorar sua personalidade e convidando-as a brincar com as cores de forma leve, lúdica e divertida.

LEIA MAIS: Bilionário tenta salvar da falência maior rede de brinquedos

Outra condição para fazer o negócio ganhar forma, segundo Tilkian, era a necessidade de comercializar os produtos por meio de uma loja física própria. Assim, as crianças podem ser orientadas a realmente utilizar as maquiagens como brincadeira.

Sem revelar quanto investiu, o empresário diz que a entrada no novo segmento vinha sendo planejada há três anos e foi preparada para este ano na expectativa de uma possível retomada da economia, segundo Tilkian.

INTERIOR DA ESTRELA BEAUTY, INAUGURADA HÁ DEZ DIAS

Em agosto, será a vez do Shopping Anália Franco receber uma unidade da Estrela Beauty, que neste ano, não deve inaugurar outras lojas da nova marca.

A ideia é que com a consolidação da marca até o fim de 2018, novas lojas sejam inauguradas pelo Brasil.

Com boas expectativas para a expansão da Estrela Beauty, Tilkian já adianta que o mesmo não irá acontecer com a marca de brinquedos, que seguirá apenas como fabricante.

“Está totalmente fora de questão inaugurar lojas de brinquedos. Trata-se de outro mercado, bem mais concorrido e pelo qual não queremos brigar”, diz.

LEIA MAIS: Quanto custa compartilhar um brinquedo?

No entanto, ainda há outro projeto da Estrela previsto para o segundo semestre. Desta vez, na área de livros infantis. Em agosto, a companhia irá lançar 30 títulos infantis e pedagógicos, por meio da controlada Editora Estrela Cultural, durante a Bienal do Livro, em São Paulo.

FOTOS: Divulgação e Maurício Queiroz