Negócios

Petz planeja abrir entre 30 a 40 lojas por ano


Em expansão, varejista de produtos para animais de estimação acaba de chegar ao Norte do país, única região em que ainda não possuía unidades


  Por Estadão Conteúdo 15 de Junho de 2021 às 13:02

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Em rota de expansão desde que abriu seu capital, no ano passado, a varejista de produtos para animais de estimação Petz acaba de chegar à úniconde a região brasileira em que ainda não havia fincado bandeira: o Norte do País. Em maio, a companhia desembarcou em Palmas (TO) e, já no fim desta semana, chega a Manaus (AM).

Hoje já são 143 lojas Petz espalhadas pelo País. Com a unidade de Manaus, serão 11 inaugurações em 2021. A Petz está presente em 17 Estados, e seu planejamento estratégico prevê a chegada a todas as unidades da federação em até cinco anos. "No começo tínhamos dúvida se alguns Estados suportariam o modelo de lojas, mas fomos muito bem recebidos. Acabamos concluindo que era mais um problema de oferta do que de demanda", afirmou o presidente da Petz, Sergio Zimerman.

Segundo o executivo, a presença física em novos Estados trouxe um efeito positivo. No Norte e Nordeste, por exemplo, a venda on-line sofria uma grande barreira de entrada por conta de prazos de entrega longos e altos preços de frete - questões que se amenizaram com a presença local. Em alguns casos, a venda on-line deu um salto.

Em Natal (RN), por exemplo, esse segmento se multiplicou por 30 após a chegada ao Estado. Apesar de ser líder de mercado, a Petz atua num setor ainda muito pulverizado: a empresa tem 6% desse mercado, seguida de perto pela rival Cobasi, com 5%.

No Norte e no Nordeste, o domínio dessas redes, no entanto, é bem menor e o mercado está quase todo na mão de pequenos empreendedores. A ideia é seguir abrindo cerca de 30 a 40 novas lojas por ano.

O executivo explica que o prazo mais longo para a concretização desse plano se deve ao fato de que nem sempre há oferta imobiliária disponível para a construção de pontos de venda. A ideia, frisou, é fazer inaugurações em localizações nobres e de grande movimento.

Ainda que o avanço orgânico venha sendo o pilar de crescimento, aquisições para acelerar esse processo estão na mesa. No entanto, essa não deve ser a estratégia para crescer o número de lojas, mas sim em outras formas de atender os donos de pets, indo também além dos centros veterinários e hospitais.

Outros serviços, que podem ir de "dog walkers" a planos de saúde para os animais de estimação, poderão ser agregados. O executivo diz que a estruturação dessas novidades em um marketplace está em curso e que alguma novidade já poderá ser conhecida neste ano.

Para os analistas do banco Itaú BBA, a companhia vem apresentando forte crescimento de receitas, com boa execução de seu plano de abertura de lojas físicas e presença digital firme. "Os resultados do primeiro trimestre do ano corroboram nossa tese de que a Petz está liderando uma jornada de consolidação no mercado de pet care no Brasil", aponta o documento, assinado pelos analistas Thiago Macruz, Helena Villares, Gabriel Simões e Maria Clara Briza Infantozzi. 

 

IMAGEM: divulgação






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade