Negócios

Pão de Açúcar vai encarar a crise em campanha de publicidade


A intenção é criar ofertas adaptadas ao perfil do cliente de cada bandeira do GPA


  Por Estadão Conteúdo 01 de Dezembro de 2015 às 10:45

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A crise econômica será abordada diretamente na nova campanha do Grupo Pão de Açúcar.

Depois de detectar, em uma pesquisa, que mais de 70% dos brasileiros não acreditam que o setor privado vá fazer esforço efetivo para recuperar a confiança na economia, a empresa diz ter percebido que chegou a hora de agir.

Com a consultoria do instituto Data Popular, a empresa lançou nesta terça-feira (01/12) o movimento "Vamo Junto", em que o grupo, controlado pela multinacional francesa Casino, promete fazer sua parte para que o consumidor continue a ter acesso a novos produtos.

LEIA MAIS: Confiança da indústria recua 1,4 ponto em novembro ante outubro

A campanha institucional é protagonizada pelos atores Taís Araújo e Lázaro Ramos (um casal na vida real) e foi criada pela agência Young & Rubicam.

O grupo diz que o compromisso da empresa com o movimento será percebido em todas as bandeiras (como o supermercado Pão de Açúcar, o hipermercado Extra, a rede de eletrodomésticos Casas Bahia e o atacarejo Assai) por meio de ofertas atraentes, fruto de negociações com fornecedores.

De acordo com Líbano Barroso, vice-presidente de operações do GPA, a parceria com o instituto Data Popular, dedicado a estudos sobre a classe C, foi fundamental na definição de estratégias. A empresa vai tentar direcionar as ofertas nas lojas às demandas do consumidor.

A ideia, de acordo com Renato Meirelles, presidente do Data Popular, é ficar atento a categorias que o consumidor está disposto a consumir, com ofertas adaptadas ao perfil de cliente de cada bandeira do GPA.

Entre os produtos que hoje estão em alta no gosto do consumidor estão lavadoras de roupa (só 50% dos lares têm o eletrodoméstico no país), produtos de beleza e smartphones.

"Hoje, é importante economizar em qualquer categoria, pois isso libera renda para outros tipos de gastos, seja em produtos ou lazer", diz Meirelles.

LEIA MAIS: O desafio de voltar a crescer

Foto: Estadão Conteúdo