Negócios

Ovos de Páscoa estão 40% mais caros do que em 2018


Levantamento é do Ibre/FGV. Porém, pesquisa do Google mostra que as buscas por barras de chocolate subiram 49% - o que sinaliza que os consumidores têm procurado a melhor relação custo-benefício


  Por Redação DC 16 de Abril de 2019 às 14:59

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Os ovos de Páscoa de até 100 gramas vão pesar mais no bolso do consumidor este ano. O produto está com preço médio de R$ 36,73, cerca de 40,52% mais caro em comparação a igual período de 2018, quando o valor cobrado era R$ 26,14. O aumento apurado em 2019 para ovos de 400 gramas alcançou 8,25%, com valor de R$ 49,59; em 2018, esses produtos custavam R$ 45,81.

A pesquisa do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) considerou preços coletados até a primeira semana de abril de ovos de diversos tamanhos, do nº 9 até o nº 20, que variam de 100 gramas a 400 gramas.

LEIA MAIS:O peso amargo dos impostos de Páscoa

O preço médio dos ovos de Páscoa de 100 gramas até 400 gramas ficou em R$ 40,63, elevação de 10,22% frente aos produtos vendidos no ano passado, superando a variação acumulada em 12 meses (de maio de 2018 a abril de 2019) do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FGV de 4,84%. No ano passado, a variação encontrada nos mesmos produtos frente à Páscoa de 2017 foi positiva em 0,08%, com valor médio dos ovos de R$ 36,86.

BOMBONS 
 
De acordo com a sondagem, o preço de bombons e chocolates aumentou 5,24% nos últimos 12 meses, também acima do IPC da FGV (4,84%). Quando se compara abril contra março deste ano, porém, bombons e chocolates tiveram retração de 3,61%, com o IPC evoluindo 0,73% no período.

“Este mês ficou mais barato em relação ao mês anterior”, disse o Igor Lino, pesquisador do Ibre.

O economista disse que os bombons estão mais em conta, mas caso a criança insista em ganhar ovo de Páscoa, devido ao apelo emocional da época, Lino recomenda aos consumidores que conversem com os filhos e combinem o preço máximo que podem gastar.

“Acaba dando uma educação financeira para a criança e ela participa da compra do ovo”.

Outra solução mais barata é fazer o ovo de Páscoa em casa, lembrou o pesquisador do Ibre. “Sai bem mais em conta. Você compra uma barra de chocolate, cujo preço é seis vezes menor, e em casa mesmo você pode fazer o seu ovo de Páscoa”.

A HORA E A VEZ DAS BARRAS DE CHOCOLATE 

O brasileiro está em busca da melhor relação custo x benefício para comemorar a Páscoa em 2019, na esteira da crise econômica no país nos últimos anos. De acordo com dados internos do Google, as buscas por barras de chocolate e por chocolates baratos cresceram, em média, 49% e 44%, respectivamente, nos últimos três anos. No mesmo período, as buscas por ovos de Páscoa subiram apenas 1%. 

LEIA MAIS: Consumidores estão propensos a gastar mais nessa Páscoa

Os dados fazem parte de uma nova pesquisa realizada pelo Google, que mostra que, apesar do interesse em gastar menos, 80% dos entrevistados pretendem comprar chocolate para presentear na Páscoa.

Do total de 500 entrevistados que responderam a uma pesquisa on-line do Google em fevereiro de 2019, 85% do total afirmou que celebra a data e 45% que consome doces. 

Além disso, outros itens como cestas de Páscoa e a tradicional colomba pascal também estão em alta nas buscas, com aumento de 12% e 9% em volume, no mesmo período analisado.

LEIA MAIS:Na Cacau Show, Páscoa é tempo de inovação

Outros itens relacionados à Páscoa mas não aos chocolates também aparecem em destaque nas intenções de compra: 51% dos entrevistados disseram que pretendem decorar a casa para a Páscoa. 

A Páscoa tem grande relevância para o mercado, sendo a principal data para a indústria do chocolate no Brasil. Somente em 2018, os fabricantes produziram 11 mil toneladas de ovos e produtos para a data, de acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), que espera um número muito maior para 2019.

FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil