Negócios

Número de novos MEIs recua 21,6% no 2º trimestre


Categoria representou 82% das aberturas de empresas no período. O setor de serviços foi o que registrou o maior número de novas companhias, segundo a Boa Vista


  Por Redação DC 03 de Agosto de 2020 às 09:41

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O número de novas empresas caiu 23,2% no 2º trimestre em relação aos três primeiros meses de 2020, segundo levantamento da Boa Vista com abrangência nacional.

Na comparação com o 2º trimestre do ano passado, a queda foi de 16%. Já no resultado acumulado em quatro trimestres, o indicador passou de 16,5% em março para 8,1% em junho, menor patamar desde setembro de 2017, quando atingiu 7%.

Na classificação por forma jurídica, a variação trimestral mostrou redução de 21,6% nas aberturas para MEIs, e de 29,8% nos demais tipos de empresas.

Já em termos de composição, os MEIs representaram 82% dos casos no semestre encerrado em junho. No mesmo intervalo de tempo do ano anterior a participação dessas empresas era um pouco menor, de 77,5%.

Quando analisada a composição das novas empresas por setores, o levantamento mostrou que o setor de serviços atingiu 61,5% de representatividade no semestre (acumulado do ano), estando maior que os 61,2% observados em igual período de 2019.

Mantida a base de comparação, o comércio apresentou leve aumento na participação, avançando para 30,3% (+0,4 ponto percentual). No sentido contrário, a indústria caiu para 7,1% (-0,7 ponto percentual).

Na comparação com o trimestre encerrado em junho de 2019, no segundo trimestre de 2020 todas as regiões do país registraram queda nas aberturas de empresas. As regiões Nordeste (-19,9%) e Sudeste (-19,2%) foram as que mais recuaram. 

O levantamento trimestral é realizado pela Boa Vista a partir das novas empresas registradas na Receita Federal, considerando todo o território nacional.

FOTO: Thinkstock





Publicidade





Publicidade





Publicidade