Negócios

Natal 2015 - Como está a cabeça (e o bolso) do consumidor brasileiro


Pesquisas de tendência captam o comportamento mais racional que deve predominar nas compras natalinas. Para os consumidores, será um Natal de presentinhos


  Por Inês Godinho 26 de Novembro de 2015 às 08:00

  | Jornalista especialista em sustentabilidade e gestão, a editora atuou no Estadão, na Editora Abril e na Folha de S. Paulo


O Natal brasileiro de 2015 entrou em dieta. O regime de baixas calorias, provocado pela explosão da inflação, desemprego, endividamento e desconfiança em relação à economia, se confirma em todas as pesquisas de tendência de consumo para o final do ano. 

Para Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), “o varejo vai enfrentar um consumidor extremamente cauteloso neste Natal”. Avaliação semelhante tem Reynaldo Saad, da consultoria Deloitte: “O consumidor brasileiro está muito consciente da situação econômica.” Fábio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), resume a situação: “Teremos o pior Natal em 11 anos.” 

Com taxa de desemprego em 8,9% e 9 milhões em busca de uma posição no mercado de trabalho, veja os números que vão mexer com as vendas neste Natal e o que mudou de um ano para outro. 

 

 






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade