Negócios

Na segunda-feira, vendas em supermercados cresceram 18%


Alta foi registrada somente neste dia 16/03, segundo dados da APAS. Em comunicado, ABIA tranquiliza e afirma que não há risco imediato de desabastecimento


  Por Redação DC 18 de Março de 2020 às 09:40

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


A movimento de consumidores nos supermercados do Estado de São Paulo, na última segunda-feira (16), foi 18% maior que o registrado há um mês, no dia 17 de fevereiro. Os dados, divulgados nesta terça-feira à noite (17/03), são da Associação Paulista de Supermercados (APAS).

Apesar da elevação, a entidade informou que a cadeia produtiva do setor está operando normalmente, sem falta de produtos. A única exceção é o álcool em gel. A APAS destaca que não há necessidade de corrida aos supermercados por conta da epidemia, e que os consumidores devem realizar o consumo consciente, pensando na coletividade da sociedade.

LEIA MAIS:Coronavírus: entenda os critérios para reduzir férias ou antecipar jornada da equipe

“Não há necessidade de estocar produtos. Pode haver ruptura pontual nas gôndolas, porém os supermercados têm se esforçado para disponibilizar os produtos o mais rápido possível”, disse o presidente da APAS, Ronaldo dos Santos.

A entidade destacou que os supermercados estão preparados para atender ao aumento da demanda e trabalhando para que não faltem itens nas prateleiras, assim como para manter um equilíbrio de preço nos pontos de vendas.

SEM RISCO IMEDIATO

O avanço do novo coronavírus motivou uma série de medidas das autoridades de saúde com o objetivo de reduzir ao máximo o contágio da população e minimizar os impactos da doença, disse, em comunicado, a ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos) que, diante do cenário atual, criou e vem operando, desde a semana passada, um comitê de crise em parceria com a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) e a APAS (Associação Paulista de Supermercados) para acompanhar diariamente a situação do abastecimento de alimentos no País.

O comunicado diz que o monitoramento está sendo feito diariamente por videoconferência entre representantes das associações, para atualizações sobre a situação nos pontos de vendas de alimentos (mercados, supermercados e hipermercados), com o objetivo de minimizar os impactos, dar mais agilidade na identificação de possíveis problemas e no encaminhamento de soluções.

"A logística de abastecimento segue dentro da normalidade, assim como os estoques, e não há nenhum risco imediato de falta de alimentos no País. De acordo com a ABRAS, os supermercados estão preparados, inclusive, para aumentar o abastecimento, caso seja necessário, como já ocorre em datas sazonais", conclui a nota. 

FOTO: Arquivo Agência Brasil