Negócios

Movimento do comércio sobe 9,9% em maio


Resultado reflete leve reação do varejo com as medidas de estímulo aos empresários e consumidores, segundo a Boa Vista


  Por Estadão Conteúdo 18 de Junho de 2020 às 14:34

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Mais um dado aponta alguma melhora da atividade econômica em maio ante abril, o indicador Movimento do Comércio avançou 9,9% no período, com ajuste sazonal, de acordo com relatório da Boa Vista. 

Em abril, nessa base de comparação, houve recuo de 26,6%. O indicador, que acompanha o desempenho das vendas do varejo em todo País, mostra, contudo, desempenho heterogêneo entre os setores. Além disso, no confronto com maio de 2019, o indicador continua a mostrar queda das vendas, de 18,4%.

Em 2020, a retração acumulada é de 9% e, em 12 meses, de 3%. "Após o indicador registrar queda acentuada em abril, o resultado de maio recupera pequena parte dessa perda e interrompe uma sequência de três quedas consecutivas. Refletindo leve reação do varejo no último mês com as medidas de estímulo aos empresários e consumidores no combate à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus", diz a nota da Boa Vista.

Contudo, a instituição espera que o movimento do comércio siga bastante fragilizado ao longo de 2020, considerando a redução da renda e do emprego e as medidas de isolamento ainda vigentes. "Melhores resultados dependerão da flexibilização das medidas de isolamento e do desempenho dos principais setores da atividade."

SETORES

O aumento das vendas em maio ante abril, com ajuste sazonal, foi liderado pelo segmento de "Móveis e Eletrodomésticos", que apresentou alta significativa, de 39,4%, sem, porém, recuperar a perda de 83,3% no mês anterior, descontados os efeitos sazonais. Ante maio de 2019, a queda ainda é expressiva: 69,9%.

O outro setor que avançou na margem foi "Outros Artigos do Varejo", com alta de 8,2%. No confronto com o mesmo mês do ano passado, por sua vez, o recuo foi de 0,8%. O restante dos segmentos ainda continuou no terreno negativo, mesmo na comparação na margem.

O setor de "Combustíveis e Lubrificantes" apresentou retração de 8,6% em maio considerando dados dessazonalizados, enquanto frente a igual mês do ano passado a variação foi de -25,4%.

A categoria de "Tecidos, Vestuários e Calçados" recuou 2,1% no mês, expurgados os efeitos sazonais, mas subiu 0,6% ante maio de 2019. Já a atividade de "Supermercados, Alimentos e Bebidas" continua evitando perdas significativas, com variação de -0,2% no mês na série dessazonalizada. Anta maio de 2019, a alta é de 7,5%.

FOTO: Divulgação