Negócios

Lojas de shopping têm mais dificuldades para recuperar vendas


Estudo do Sebrae mostra que, enquanto os negócios instalados nas ruas acusam vendas 36% abaixo do normal, lojistas de shopping relatam queda de 50%


  Por Redação DC 22 de Setembro de 2020 às 13:38

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Lojas instaladas dentro de shoppings populares ou em feiras estão com mais dificuldades para recuperar as vendas, segundo levantamento feito pelo Sebrae em parceria com a FGV.

Pela pesquisa, que ouviu mais de 7,5 mil empresários em todo o país, lojas instaladas em shoppings relatam que as vendas ainda estão 50% abaixo do nível normal.

Por outro lado, as lojas de rua, em média, afirmam que a queda atual é de 36%. O levantamento foi realizado entre os dias 27 e 31 de agosto.

No auge da pandemia, em abril, as empresas chegaram a relatar redução de 70% nas vendas, mas ao longo dos meses, à medida que a flexibilização da quarentena aumenta, as perdas começam a diminuir.

LEIA MAIS: Para reduzir gastos, lojistas de shopping migram para o comércio de rua

A recuperação mais lenta entre as empresas instaladas em shoppings e demais polos comerciais tem entre os motivos o receio do consumidor de se expor o coronavírus em locais de aglomeração. Além disso, os shoppings são obrigados a restringir o número de clientes durante a quarentena.

O levantamento mostra ainda que cresceu o número de empresas que voltaram a funcionar. Em julho, 76% dos negócios estavam operando, em agosto, eles subiram para 81%.

Mas 21% dos empresários ainda se encontravam, no período em que o estudo foi feito, em áreas com restrição parcial ou lockdown.

Pelo quinto mês consecutivo, houve melhora nos índices de queda do faturamento das empresas. No levantamento anterior, os empresários apontavam para uma queda média de 45%. Agora, informaram que faturamento caiu 40%.

 

IMAGEM: Divulgação/ Galeria Pagé

 





Publicidade





Publicidade





Publicidade