Negócios

Lojas de brinquedos faturam alto na região da 25 de Março


Bonecas, bolas e patins são os brinquedos mais procurados. A boneca da moda é a Lol Surprise


  Por Wladimir Miranda 21 de Dezembro de 2018 às 19:20

  | Repórter vmiranda@dcomercio.com.br


A expectativa pelo brinquedo que a mãe, ou um parente mais próximo, iria comprar em meio às dezenas, centenas, de bonecas, bolas, patins, expostos ali naqueles corredores estava estampada no rosto das crianças.

A região da Rua 25 de Março ficou repleta de consumidores na sexta-feira à tarde, 21/12. Quem quis evitar os atropelos do sábado e do domingo, lotou as lojas de brinquedos da região. Lojas especializadas em brinquedos, como a Armarinhos Fernando, Juliana Brinquedos, Candide e o Mundo dos Brinquedos, não tinham do que se queixar.

O Natal de 2018 está sendo mesmo o dos brinquedos, pelo menos na região da Rua 25 de Março.
Todos estes estabelecimentos do maior shopping a céu aberto da América do Sul já contabilizam lucros.

Ondamar Ferreira é gerente de uma das quatro lojas da Armarinhos Fernando da Rua 25 de Março há 16 anos. A empresa, que tem seis unidades na região, sendo duas na vizinha Rua Carlos de Souza Nazareth, aumentou o seu estoque, contratou mais funcionários e festeja os lucros, na comparação com o mesmo período do ano passado.

“O movimento está excelente. Acima das expectativas. Hoje (sexta-feira, 21/12), posso dizer, sem medo de errar, que já tivemos um aumento de 11% em relação ao Natal de 2017”, afirmou ele, com um enorme sorriso no rosto.

Bonecas, bolas patins e skates são os brinquedos mais procurados por meninas e meninos. A boneca da moda, que está fazendo um enorme sucesso, principalmente por causa da grande exposição na mídia, é a Lol Surprise. Ela vem em formato de bola e suas características e cores sempre são uma surpresa para a criança.

A Lol “mais simples”, segundo Ondamar, sai por R$79,90. O gasto médio de quem entra nas lojas de brinquedos da 25 de Março é de R$ 65,00.

Mas em todas as lojas, em maior volume no Armarinhos Fernando, que também vende no atacado, são comuns as compras coletivas. São pessoas que se juntam para compras de brinquedos em grandes quantidades, com o objetivo de presentear crianças carentes de comunidades.

“As doações neste período do ano são frequentes. As pessoas chegam na loja e compram em grandes quantidades.

São lembrancinhas, mas o que vale mesmo é a intenção, o carinho dedicado às crianças necessitadas”, afirmou Ondamar.

José Onório Barros da Silva atravessou a cidade para comprar presentes para crianças carentes de uma comunidade de São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo.

Ele contou que um grupo de 30 pessoas se reúnem nas proximidades do Natal para comprar presentes para cerca de 100 crianças carentes da região.

“Cada pessoa colabora com R$ 50,00. É o suficiente para fazer uma criança feliz. Isto é o mínimo que podemos fazer”, afirmou ele, que não quis ser fotografado.

Imagem: Wladimir Miranda