Negócios

Lembrancinhas para mães fazem varejo subir só 1,7% na 1ª quinzena


Resultado da primeira metade de maio reflete tanto o outono que demorou a chegar quando o comportamento cauteloso do consumidor, segundo o Balanço de Vendas da ACSP


  Por Redação DC 16 de Maio de 2019 às 17:34

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O movimento de vendas do varejo da capital paulista cresceu em média 1,7% sobre o mesmo período do ano passado, de acordo com o Balanço de vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). As comercializações à vista cresceram 2,9%, enquanto as transações a prazo subiram apenas 0,5%.

“São números tímidos, que inclusive ficaram abaixo da nossa projeção de 2% para as vendas de Dia das Mães. Contudo, é importante ressaltar que a data comercial do ano passado foi muito impactada pela Copa do Mundo", lembra Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Em 2018, as pessoas compraram TVs, sofás, racks e outros tipos de bens duráveis para as mães pensando na Seleção, afirma o economista. Mas neste ano, não existiu essa motivação. Muito pelo contrário, o consumidor está cauteloso e investiu em presentes de menor valor, destaca.  

“Nesse Dia das Mães, elas ganharam presentes para elas mesmas, enquanto que no ano passado muitas receberam presentes para o lar. Essa é a síntese”, declara.

Solimeo avalia, contudo, que os números da quinzena não podem ser projetados para o restante do mês, pois a greve dos caminhoneiros provocou um desabastecimento muito grandes nos dez últimos dias de maio do ano passado, o que criou uma base fraca de comparação.

“Além disso, o frio não chegou à capital até o final dessa quinzena. Se as temperaturas baixas do momento continuarem até o fim do mês, possivelmente os dados irão melhorar”, comenta Solimeo.

O Balanço de Vendas é elaborado pelo Instituto de Economia da ACSP com base em amostra da Boa Vista SCPC.

FOTO: Karina Lignelli/DC