Negócios

Investir em salas comerciais pode ser uma boa aposta


A crise econômica tem levado empresas a abrir mão de seus imóveis. Quem está capitalizado pode fazer bons negócios e esperar pela retomada do mercado imobiliário


  Por Renato Carbonari Ibelli 05 de Setembro de 2016 às 08:00

  | Editor rcarbonari@dcomercio.com.br


O preço dos imóveis comerciais na cidade de São Paulo segue em queda. Entre janeiro e julho, o valor médio da locação recuou 5,67%, enquanto o preço de venda caiu 0,62%. Os dados são do Índice FipeZap, que pesquisa salas comerciais de até 200 metros quadrados.

Em julho, o preço médio do metro quadrado para venda na capital paulista foi R$ 10.808. Para locação, o valor médio encontrado foi de R$ 48. 

No quadro abaixo é possível pesquisar os preços médios encontrados em diferentes localizações de São Paulo entre janeiro e julho deste ano.

A desvalorização dos imóveis pode ser uma boa oportunidade de investimento para empresas que estão capitalizadas. Isso porque, na outra ponta, há inúmeras outras empresas com problemas de liquidez em decorrência da desaceleração da economia. 

Essas companhias com proble5mas estão se desfazendo de salas comerciais para recompor os caixas.  “Quem tiver dinheiro nas mãos nessa situação pode obter bons descontos na compra desses imóveis”, afirma Segundo Eduardo Schaeffer, presidente do ZAP.

Em geral, o maior volume de imóveis comerciais vagos é verificado entre as salas de até 100 metros quadrados, as chamadas saletas. Schaeffe explica que as empresas maiores, que ocupam várias lajes, abrem mão de um ou outro andar, mas não se mudam para essas salas menores. Já as empresas pequenas, ou estão fechando ou se mudando para espaços ainda mais limitados.

Quem conseguir barganhar preços na compra de espaços comerciais pode se dar bem mais à frente. Embora o mercado imobiliário esteja estagnado, é esperada uma recuperação para 2017, quando os preços devem voltar a subir. “Dentro de seis meses a um ano esperamos a retomada o setor imobiliário”, diz Schaeffer.

Porém, o investidor precisa lembrar que até uma eventual recuperação do mercado, a rentabilidade do negócio pode não ser a esperada. 

De acordo com o Índice FipeZAP, a rentabilidade média do investimento em saletas comerciais (que leva em conta a valorização do imóvel e mais os ganhos com aluguel) acumula alta de 2,5% nos últimos 12 meses, até julho. Um investimento de menor risco, como o CDI, rendeu 14,1% em igual período.

Como contraponto, em 2012, quando o mercado imobiliário ainda estava aquecido, o retorno do investimento nessas salas de até 100 metros quadrados foi de 25,1% no ano. 

VARIAÇÕES 

No mês de julho, comparado com junho, observa-se queda de 0,16% no preço de venda do imóvel comercial na cidade de São Paulo, enquanto o valor de locação recua 0,88%.

Em julho, o preço médio do metro quadrado comercial para venda na capital paulista foi R$ 10.808. Para locação, o valor médio encontrado foi de R$ 48. 

Ainda assim, os valores estão entre os maiores dentre as localidades pesquisadas, perdendo apenas para os encontrados no Rio de Janeiro, onde o preço médio do metro quadrado para venda em julho foi de R$ 12.059 e o de locação, R$ R$ 51.

Em Porto Alegre as médias são R$ 8.028 (venda) e R$ 32 (locação) e em Belo Horizonte R$ 7.485 (venda) e R$ 33 (locação). O indicador FipeZap acompanha a evolução do preço médio nessas quatro localidades com base em anúncios da internet.

Os maiores valores do metro quadrado de venda encontrados em São Paulo no mês de julho foram na Vila Madalena, R$ 19.630, e nos Jardins, R$ 13,815. os menores foram na Sé (R$ 4.119) e na República (R$ 4.465).

Ainda na capital paulista, os valores do metro quadrado para locação mais elevados foram encontrados no Itaim Bibi (R$ 74) e na Vila Olímpia (R$ 66). Já os menores aparecem em Artur Alvim (R$ 20) e no Brás (R$ 21).

IMAGEM: Thinkstock