Negócios

Internacionalização pode ser uma boa saída para pequenos negócios


Projeto do Sebrae aproveita os jogos olímpicos para atrair e capacitar pequenos negócios para a exportação


  Por Agência Sebrae 09 de Maio de 2016 às 19:31

  | Informações do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena empresa


Sua empresa tem potencial para exportar? Está preparada para isso? Por meio de um autodiagnóstico, o dono do pequeno negócio não só pode descobrir se é capaz de desbravar o mercado internacional, como também dar início ao cadastro no projeto Chama Empreendedora, adotado pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio), em parceria com o Sebrae, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e outras instituições. 

Na manhã de sexta-feira (06/05), o projeto foi apresentado aos empreendedores brasilienses, na sede da Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF).

No evento, as instituições ligadas ao projeto apresentaram suas atribuições e iniciativas de incentivo à internacionalização. 

Na abertura, Paulo Protásio, presidente da ACRio, disse que o objetivo é unir as associações comerciais do Brasil às mais de 12 mil instituições semelhantes ao redor do mundo em prol da cultura exportadora. “Temos uma visão de longo prazo”, afirmou.

O programa vai apoiar micro e pequenas empresas a divulgar seus produtos antes, durante e após os Jogos Olímpicos.

O Sebrae atua em três frentes: realização de seminários sobre oportunidades de exportação; preparação para a internacionalização (junto com o MDIC), incluindo inserção no Programa Nacional de Cultura Empreendedora (PNCE); e, com o Sebrae no Pódio, iniciativa que cadastra pequenos negócios para fornecerem produtos e serviços ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

“O cenário é desafiador. Há muito espaço para os pequenos negócios lá fora e não estamos ocupando”, disse o analista Eraldo Ricardo dos Santos, de Acesso a Mercados e Serviços Financeiros, após uma apresentação na qual aproveitou para relatar sua própria experiência no exterior, quando viu um espaço reservado a produtos brasileiros num mercado do estado de Oklahoma (EUA), sendo ocupado por produtos de outros países da América Latina. 

LEIA MAIS: Empresas que se destacaram em exportação recebem prêmio da ACSP

FOTO: Thinkstock





Publicidade






Publicidade









Publicidade