Negócios

“Há boas perspectivas para o setor de carnes”


Francisco Turra, presidente executivo da ABPA, diz que, apesar da crise, as indústrias de frangos e suínos têm investido no país


  Por Estadão Conteúdo 10 de Outubro de 2015 às 16:39

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


Francisco Turra, presidente executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e ex-ministro da Agricultura, disse que é "extremamente boa" as perspectivas para o setor no curto prazo, mas criticou a política de abertura de novos mercados para as carnes brasileiras, principalmente na América Latina.

"O Brasil está ficando ilhado, sozinho no comércio internacional em acordos e vendendo ideologia. É lamentável", disse o executivo durante entrevista em Anuga, maior feira de alimentos e bebidas do mundo, que começou hoje (10/10) em Colônia, na Alemanha.

Para ele, mesmo com a crise no país, os setores de frangos e suínos, representados pela ABPA, "investem pesado" e o volume das exportações deve crescer em torno de 5% em 2015.

"Temos uma sanidade exemplar, enquanto 40 países possuem problemas sanitários. As exportações de aves dos Estados Unidos recuaram 14% após um surto de gripe aviária", afirmou.

O ex-ministro se mostrou cético em relação à recente alta do dólar e os impactos positivos da valorização da moeda norte-americana no setor.

"Isso não vai longe à medida que a situação política se estabilizar. Quem está apostando na alta do dólar vai perder dinheiro."

Turra alertou ainda para uma possível euforia do mercado em relação à alta nas vendas de suínos para a Rússia, mercado que compra hoje 46% de toda a carne de porco que o Brasil exporta.

"Eu não acho isso bom. A saída é abrir mais mercados para o setor de suínos. Ao contrário de aves, cuja concorrência é pequena, o mercado de suínos é muito disputado."

Foto: Thinkstock

 






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade