Negócios

Guerra comercial vai desacelerar as exportações


Para o brasileiro Roberto Azevêdo, diretor da OMC, os dados refletem uma "forte escalada no uso de medidas restritivas nos últimos seis meses"


  Por Estadão Conteúdo 10 de Agosto de 2018 às 07:30

  | Agência de notícias do Grupo Estado


O comércio mundial começa a sentir os efeitos negativos das medidas protecionistas impostas pela guerra comercial iniciada pelo governo de Donald Trump.

Dados divulgados pela Organização Mundial do Comércio (OMC) apontam que o fluxo de exportação vai sofrer uma desaceleração nos próximos meses e, para a entidade, a tensão política é o principal problema.

Essa é a primeira vez que a OMC apresenta dados concretos, desde que americanos e chineses passaram a impor sanções, elevar tarifas e recorrer ao protecionismo.

No quarto trimestre de 2017, a expansão do comércio havia sido de 1,1%. Mas, nos três primeiros meses de 2018, o crescimento foi de apenas 0,2%.

LEIA MAIS: Brasil cai no ranking do comércio global

A OMC não traz uma previsão de quanto seria a taxa de crescimento ou a queda no segundo semestre. Mas admite: "a expansão comercial deve desacelerar ainda mais no terceiro trimestre de 2018".

Para medir a tendência do comércio, a OMC criou um indicador que coleta dados de exportação, carga e outros índices setoriais considerados como pilares da economia mundial.

Uma taxa de 100 pontos significa estagnação do crescimento do comércio. Para o terceiro trimestre do ano, o resultado apontou 100,3 pontos, o que significa uma expansão insignificante. No trimestre passado, foi 101,8.

Em 2017, a expansão do comércio internacional em volume foi de 4,7% e em valores atingiu US$ 17 trilhões, o melhor desde 2011. Para 2018, a previsão original é de que cresça 4,4%; e em 2019, 4,0%.

Para o diretor da OMC, Roberto Azevêdo, os dados mostram uma "forte escalada no uso de medidas restritivas nos últimos seis meses". 

FOTO: Fábio Roberto Pozzebom/Agência Brasil