Negócios

Grupo da Luigi Bertolli entra com pedido de recuperação judicial


Queda de consumo e alta do dólar levaram a empresa, que trabalha com produtos importados, a acumular dívida de R$ 513,3 milhões


  Por Fátima Fernandes 04 de Fevereiro de 2016 às 15:12

  | Editora ffernandes@dcomercio.com.br


Uma dívida de R$ 513,3 milhões levou o grupo GEP, que controla cinco redes, entre elas a Luigi Bertolli, a Cori e a GAP, a entrar com pedido de recuperação judicial no último dia 29 de janeiro, em São Paulo.

Criada em 1985, a Luigi Bertolli é a maior rede do grupo, com 46 lojas, seguida pelas marcas Emme (18), Cori (16), GAP (10) e Offashion (7). A marca mais antiga é a Cori, criada em 1980. 

A combinação entre queda de consumo e alta do dólar foi o principal motivo do aumento do endividamento da empresa, que trabalha com produtos importados.

A Luigi Bertolli atua no mercado de roupas femininas e masculinas, seguindo uma linha mais básica. É conhecida por ter produtos com qualidade e preços baixos.

Assim como redes concorrentes, a Luigi Bertolli adotou a política do fast fashion, ao colocar peças novas toda a semana em suas lojas.

Com 1.600 empregados e um faturamento de R$ 544 milhões (em 2015), o grupo GEP passa por um processo de reestruturação, que está sendo conduzido pelo escritório Alvarez & Marsal.

LEIA MAIS: Há alternativas às demissões

Procurada pelo DC, a empresa informa, por meio de nota, que as 97 lojas vão continuar operando normalmente e que a empresa vai procurar aprovar junto aos credores um plano de recuperação judicial que atenda a maximização do pagamento de suas dívidas e os empregos.

LEIA MAIS: O que a sua empresa pode fazer antes de fechar as portas