Negócios

Google libera opção de delivery pelo Maps


Empresa de tecnologia anunciou a novidade em parceria com empresas de delivery e integradores de canais Rappi, Onyo e Delivery Center sem ter que recorrer a aplicativos


  Por Mariana Missiaggia 24 de Agosto de 2020 às 17:30

  | Repórter mserrain@dcomercio.com.br


Um dos hábitos mais praticados durante a pandemia, pedir comida pela internet, se tornou mais do que uma conveniência, virou sinônimo de segurança. Pesquisa do aplicativo Mobills mostra que os gastos com delivery cresceram 94% entre março e maio, auge da quarentena e do isolamento social.

Para facilitar ainda mais esse costume, o Google anunciou uma nova função em que os pedidos poderão ser feitos através da ferramenta de busca e pelo Google Maps, sem a necessidade de realizar o download de outros aplicativos.

NOVO RECURSO DO GOOGLE OFERECE DELIVERY SEM
NECESSIDADE DE APP

Já disponível para celulares e desktop, o recurso terá colaboração do Rappi, Delivery Center e Onyo, mas o Google ainda deve incorporar novos parceiros em um futuro próximo. Ao procurar um restaurante que entregue em sua região, o usuário poderá acionar o botão “faça seu pedido” e, em seguida, preencher o campo de endereço e escolher entre os serviços de entrega disponíveis.

Na sequência, o usuário tem acesso ao cardápio de pratos e bebidas oferecidos pelo estabelecimento. O pagamento é feito pelo Google Pay, eliminando a necessidade de cadastrar dados e cartão de crédito em cada plataforma de entrega. Após a confirmação, o Google envia um e-mail informando o resumo da compra, os dados de rastreamento e as informações de contato do restaurante.

AS MAIS PEDIDAS

Em todo o mundo, as pesquisas realizadas no Google com as palavras e termos: entrega, entrega de comida, delivery e comida para viagem aumentaram quase 300% na pandemia, de acordo com um levantamento realizado pelo site Betway Sports, com base no buscador de palavras-chave do Google.

A pesquisa realizada em 81 países revela que a comida mais pedida em casa no mundo durante o isolamento social, foi a pizza. O prato é o alimento mais pesquisado no Google em 55 de 81 países.

LEIA MAIS: Pesquisa aponta tendências nos negócios geradas pela pandemia

O Brasil surge como o sétimo país que mais pede delivery na quarentena com uma pesquisa a cada 123 pessoas. 

O McDonald’s domina as pesquisas por marcas de fast-food. Em 41 dos 81 países, as pessoas pesquisam a gigante do hambúrguer mais do que qualquer outro restaurante. A maior concentração dessas buscas veio da Europa, com 26 das 30 nações europeias desejando um Big Mac. A KFC foi a segunda rede de fast-food mais popular, liderando o ranking em 23 países, entre eles Reino Unido, Austrália e África do Sul.

POSICIONAMENTO DE MERCADO

O setor de food service, que engloba todo tipo de alimentação fora do lar, tem ocupado um lugar cada vez mais importante na economia brasileira. Nos últimos meses, impulsionado pela pandemia, o crescimento do número de pedidos via aplicativo gira em torno de R$ 1 bilhão a cada mês, o que faz com que o setor no Brasil movimente pelo menos R$11 bilhões por ano.

Até meados dos anos 1990, o delivery brasileiro era praticamente dominado por pizzarias. Hoje, os aplicativos oferecem o serviço para qualquer tipo de comida com entregas expressas.

A primeira empresa a olhar para essa oportunidade foi o iFood, que permaneceu sem competidores por alguns anos quando, em 2016, passou a ter a concorrência da Uber Eats. Em 2017, mais um concorrente, a atualmente bilionária Rappi. De 2020 em diante, a preferência crescente pelos serviços aponta a tendência de que o mercado seguirá aquecido pelos próximos anos.

FOTO: Pixabay





Publicidade





Publicidade





Publicidade