Negócios

Franquias mantém ritmo e crescem 6,1% no 3º tri


Faturamento ficou em R$ 44,479 bilhões no período, segundo a ABF. Setores que mais cresceram foram casa e construção, moda, comunicação, informática e eletrônicos e hotelaria e turismo


  Por Redação DC 28 de Outubro de 2019 às 16:54

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O mercado de franquias brasileiro registrou um crescimento nominal de 6,1% no terceiro trimestre deste ano, ante igual período de 2018. O faturamento passou de R$ 44,479 bilhões, para R$ 47,203 bilhões. Nos últimos 12 meses, a variação positiva foi de 6,8% (R$ 170,988 bi para R$ 182,657 bi).

É o que mostra a Pesquisa Trimestral de Desempenho do Franchising divulgada nesta segunda-feira (28/10) pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

LEIA MAIS:As 25 melhores franquias do Brasil

Com uma taxa de crescimento semelhante à registrada no trimestre passado (5,9%) e no mesmo período de 2018 (6,3%), o 3º trimestre mostra que o franchising mantém sua trajetória de crescimento gradual, mesmo num cenário de inflação baixa e demanda oscilante por parte do consumidor.

“Depois de um segundo trimestre com algumas incertezas, o terceiro trouxe sinais mais positivos -  especialmente no varejo e no andamento das reformas. Isso melhorou o índice de confiança empresarial e do consumidor, alavancando os negócios", afirma André Friedheim, presidente da ABF. "Além disso, o setor manteve sua agenda de ajustes para busca de eficiência e, principalmente, para se adaptar à digitalização da economia e aos novos hábitos do consumidor.”

Outro fator importante é que, após a definição do quadro eleitoral no ano passado, houve um reaquecimento da expansão em unidades no franchising brasileiro. “No terceiro trimestre, notamos que, além de se manter esse movimento de expansão, as lojas abertas em maior volume nos trimestres anteriores estão impactando positivamente o desempenho do setor. Em muitos casos, inclusive, essas lojas já apresentam conceitos mais modernos, que primam pela eficiência e experiência mais amigável para o consumidor”, destaca.

O índice de abertura de lojas no terceiro trimestre foi de 4,3%, contra o fechamento de 1,4% das unidades - o que resultou num saldo de 2,9% no período. Com isso, o total de unidades de franquia em operação no País chegou a 160.553.

“De fato, quando comparamos os terceiros trimestre de 2018 e 2019, verificamos uma aceleração expressiva. Neste sentido, é importante lembrar que este período do ano passado precedeu, justamente, as eleições. Já em 2019, temos um quadro definido e perspectivas de medidas liberalizantes na economia - o que favorece muito a tomada de decisão de investimento”, afirma. 

Algumas redes relataram a ABF também que as promoções associadas a Semana do Brasil, mesmo que em fase inicial, impulsionaram vendas em um período sem muita tradição.

A pesquisa da ABF apontou que houve uma alta de 4% no número de postos de trabalho no período, que passou de 1,286 milhão para 1,343 de pessoas diretamente empregadas no setor.

“O setor de franquias apresentou um ritmo de geração de empregos superior à média nacional, alavancado pela abertura de novas unidades e também pela preparação para eventos sazonais como Dia das Crianças, a Black Friday e até mesmo o Natal”, disse o presidente da ABF.

SEGMENTOS

Todos os 11 segmentos listados pela ABF tiveram desempenho positivo no terceiro trimestre frente ao mesmo período do ano passado. A pesquisa indicou que o segmento com maior crescimento em receita no período foi Casa e Construção, com alta de 9,1%.

As redes atribuem este desempenho a estratégias como o aumento da gama de produtos e serviços, à maior integração entre a indústria e as lojas e investimentos em capacitação.

Moda foi o segundo de maior crescimento, com 8,6%, impulsionado, principalmente, pelo aumento das vendas online e redesign de produtos por parte de marcas tradicionais.

O terceiro melhor desempenho foi registrado em Comunicação, Informática e Eletrônicos, com 8,3%. O segmento cresceu alavancado principalmente pela melhora do quadro econômico, abertura de novas unidades e ampliação no sortimento de empresas de gestão de meio de pagamentos.

Hotelaria e Turismo ficou em 4º lugar (7,2%), graças, além da melhora do quadro macroeconômico, investimentos no segmento hoteleiro e o início da operação de companhias aéreas low cost no Brasil.

PROJEÇÕES PARA O FECHAMENTO DO ANO

Com este desempenho, a ABF projeta que o crescimento do setor em 2019 deve ser de cerca de 7% em faturamento, e de 5% em unidades franqueadas e empregos gerados. Já o volume de redes em operação no País deve ter um leve crescimento de cerca de 1%.

A Pesquisa Trimestral de Desempenho do Franchising da ABF referente aos meses de julho a setembro envolveu uma base amostral com redes respondentes que representam cerca de 35% das unidades, e 45% do faturamento total do setor.

FOTO: Divulgação