Negócios

Ford vai fechar fábrica de caminhões em São Bernardo


O encerramento das atividades, que ocorrerá ao longo de 2019, representa a demissão de 2,8 mil trabalhadores


  Por Estadão Conteúdo 19 de Fevereiro de 2019 às 17:06

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


A Ford anunciou nesta terça-feira, 19/02, que vai encerrar a operação da fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Com a decisão, a montadora deixa de atuar no segmento de caminhões. A empresa mantém a fábrica de veículos em Camaçari, na Bahia.

O fim da operação, segundo nota da empresa, representa "um importante marco para o retorno à lucratividade sustentável de suas operações na América do Sul".

Em balanço referente ao ano passado, a Ford apresentou prejuízo de US$ 678 milhões na região.

De acordo com a empresa, a decisão de deixar o mercado de caminhões foi tomada após vários meses de busca por alternativas, que incluíram a possibilidade de parcerias e venda da operação. 

LEIA MAIS: Ford e Volkswagen se unem para desenvolver veículos elétricos

"A manutenção do negócio teria exigido um volume expressivo de investimentos para atender às necessidades do mercado e aos crescentes custos com itens regulatórios sem, no entanto, apresentar um caminho viável para um negócio lucrativo e sustentável", afirma a nota.

"Sabemos que essa decisão terá um impacto significativo sobre os nossos funcionários de São Bernardo do Campo e, por isso, trabalharemos com todos os nossos parceiros nos próximos passos", disse o presidente da montadora para a América do Sul, Lily Watters, no comunicado. 

A Ford afirma ainda que dará apoio aos consumidores em relação a garantias, peças e assistência técnica.

Segundo a montadora, o fim da fábrica de São Bernardo se junta a outras iniciativas recentes que fazem parte da reestruturação em andamento na América do Sul, como redução em mais de 20% dos custos referentes ao quadro de funcionários e à estrutura administrativa em toda a região.

DEMISSÕES

O encerramento da fábrica da Ford em São Bernardo, que ocorrerá ao longo de 2019, representa a demissão de 2,8 mil trabalhadores, segundo estimativa do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

A fábrica é a mais antiga em operação da montadora no Brasil. A fábrica de São Bernardo era responsável pela produção de caminhões da montadora. 

No Brasil, a marca ocupava a quarta posição no segmento, com 12% de participação em 2018, atrás de Mercedes-Benz, Volkswagen e Volvo.

 

IMAGEM: Divulgação