Negócios

Enchentes fazem fluxo de pessoas nas lojas cair 32%


Levantamento da Seed Digital aponta também que a queda levou a uma diminuição de 28% no faturamento dos mais de 3 mil estabelecimentos analisados


  Por Redação DC 14 de Fevereiro de 2020 às 15:31

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Devido às fortes chuvas que causaram alagamentos e outros transtornos aos paulistanos no dia 10 de fevereiro, o fluxo de pessoas nas lojas físicas da capital paulista foi 32% menor do que a média das segundas-feiras de 2020, levando a uma diminuição de 28% no faturamento. 
 
As informações são de estudo da empresa de coleta e análise de dados do varejo Seed Digital. O horário de maior queda se concentrou às 20h, com recuo de 40% em relação ao fluxo habitual do dia. O levantamento mostra também os impactos da quantidade de chuva no varejo (ver anexo).
 
LEIA MAIS:  Ilhado pela chuva, varejo da capital paulista vende 20% menos
 
"O impacto da chuva é gradativo em relação ao seu volume, sendo positivo aos finais de semana e negativo durante os dias da semana", comenta Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital. "O aumento nos finais de semana chuvosos está atrelado às lojas de shopping; o local funciona como um programa familiar propício para tais dias, com uma forte correlação entre volume de chuva e aumento na circulação de pessoas", completa. 
 
A Seed Digital, que opera a jornada de compra do consumidor end-to-end - ou seja, que consiste em atrair o consumidor através de mídia programática e, depois, monitorar e analisar a performance das campanhas e das lojas - mensura e analisa a performance de cada estabelecimento de mais 3 mil pontos no varejo brasileiro (23 estados e 149 cidades), e conta com plataforma (Data Management Platform - DMP) com mais de 72 milhões de perfis no país. 
 
FOTO: Thinkstock