Negócios

Em julho, vendas do comércio paulistano crescem 21,3%


Aumento da circulação de consumidores faz com que esse seja o terceiro mês consecutivo de alta, segundo o Balanço de Vendas da ACSP. Porém, crescimento real só deve vir em 2022


  Por Redação DC 04 de Agosto de 2021 às 09:21

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Com a ampliação da circulação de consumidores, julho foi terceiro mês consecutivo em que as vendas do comércio paulistano fecham em alta, com elevação de 21,3% ante junho, segundo dados do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), indicador com amostra da Boa Vista S/A.

Na comparação com julho de 2020, a alta é ainda maior: 37,8%. Isso porque a base de comparação é fraca em razão da extensão das medidas restritivas ao comércio não-essencial naquela ocasião.

No acumulado do ano, o avanço é de 7,4%, mas ainda assim o setor não se recuperou das perdas. Confrontados, julho deste ano com o de 2019, ou seja, o período pré-pandemia, a queda é de 27,3%.

Marcel Solimeo, economista-chefe da ACSP, diz que o cenário sinaliza recuperação, mas há um longo caminho a percorrer para zerar as perdas. O fim das restrições e o avanço da vacinação devem contribuir para a retomada.

"A elevação de julho é explicada pela melhora geral da economia e da confiança do consumidor. No ano passado, nesse mesmo período, o comércio ainda sofria com restrições e acumulava perdas."

Para Solimeo, a flexibilização é essencial para que a economia volte a se mover, e a expectativa é chegar ao mesmo patamar do final de 2019. "Crescimento real para o varejo, somente em 2022", conclui. 

FOTO: Amanda Perobelli/Reuters-Agência Brasil






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade