Negócios

Em janeiro, vendas em supermercados crescem 5,11%


Apesar da queda em comparação a dezembro, ABRAS afirma que o resultado foi o melhor para o mês dos últimos nove anos


  Por Redação DC 09 de Março de 2020 às 14:16

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O ano de 2020 começou positivo para o setor supermercadista, que registrou crescimento real (deflacionado pelo IPCA/IBGE) de 5,11% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2019, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS). A apuração, realizada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade, mostrou ainda que, em relação a dezembro, o setor registrou queda de -19,92%.  

Janeiro é um mês de férias, com maior consumo dentro dos lares, e muitas redes também são bem procuradas para a compra de material escolar. Mesmo assim, o resultado acumulado de 5,11% surpreendeu, e foi o maior para o mês de janeiro dos últimos nove anos, afirma João Sanzovo Neto, presidente da ABRAS. 

"Estamos confiantes em uma retomada menos lenta do consumo para 2020. Sabemos que o ano ainda será de desafios, o desemprego atinge mais de 11 milhões de pessoas. Esperamos a continuação das reformas estruturantes do governo, principalmente a tributária, para um crescimento econômico mais expressivo”, destaca.  

Em relação à queda registrada na comparação com dezembro, o presidente disse que foi impactada pela sazonalidade. “Essa diferença de vendas entre janeiro e dezembro já é tradicional. No último mês do ano os supermercados recebem um maior número de clientes e as vendas aumentam, principalmente, por causa das festas de Natal e Réveillon”.

O setor fechou 2019 com crescimento de 3,62%. Para 2020 a ABRAS projeta alta de 3,90% nas vendas.

ABRASMERCADO  

O Abrasmercado, indicador que analisa os preços dos 35 produtos mais consumidos no autosserviço, registrou queda de -2,06% em janeiro na comparação com dezembro, passando de R$ 522,35 para R$ 511,58. No acumulado dos 12 meses (janeiro 2019/janeiro 2020), o valor da cesta apresentou crescimento de 9,88%, foi de R$ 465,57 para R$ 511,58.

As maiores quedas nos preços foram registradas nos produtos: carne traseiro (alcatra, filé mignon picanha, coxão mole, patinho, etc.) -6,67%, cebola, -5,51%, farinha de mandioca, -5,14%, e carne dianteiro (acém, cupim, paleta, músculo, entre outras.) -2,45%. E as maiores variações positivas foram observadas nos itens: batata, 10,23%, tomate, 3,94%, sabão em pó, 2,56%, e queijo prato, 1,94%. 

Quanto às regiões, no mês de janeiro, quase todas as regiões brasileiras registraram queda nos preços da cesta Abrasmercado*. A Região Sul foi a única que apresentou alta nos preços, 0,28%, e passou de R$ 575,23 para R$ 576,81. E a Norte foi a que registrou maior variação negativa, -4,86%, chegando a R$ 549,72 ante R$ 577,77 de dezembro.

FOTO: Arquivo DC





Publicidade





Publicidade





Publicidade