Negócios

eBay quer estimular brasileiros a vender lá fora


Já há 4 mil exportadores nacionais no terceiro maior site de compras internacionais feitas por brasileiros


  Por Estadão Conteúdo 09 de Junho de 2018 às 09:56

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Uma das marcas mais tradicionais do e-commerce, o americano eBay está voltando suas atenções para o Brasil.

Andrea Stair, executiva responsável pela operação na América Latina e Canadá, afirma que a meta é acelerar o crescimento da base de vendedores brasileiros, que comercializam itens na plataforma.

Para isso, a companhia espera, ainda neste ano, investir em ajustes tecnológicos para facilitar a vida de quem fala português e quer vender no exterior.

O foco do eBay no Brasil é o chamado e-commerce “cross border”, quando mercadorias embarcam de um país para outro.

O modelo de negócios da companhia é servir de plataforma para que outros vendedores comercializem produtos, pagando uma comissão.

Ou seja, o eBay não tem estoque próprio. Nesse modelo, o chamado “marketplace”, o eBay começou como um site de leilões de produtos usados.

Hoje, no entanto, 80% dos produtos vendidos são novos e 90% têm preço fixo, ou seja, não são vendidos via leilão.

Nomeada no início do ano para cuidar da operação latino-americana, Stairs esteve pela primeira vez no Brasil esta semana com o objetivo de recrutar vendedores.

Atualmente, o eBay tem 4 mil vendedores brasileiros, todos eles exportadores, segundo a companhia. 

O eBay espera ter nos próximos meses no Brasil uma série de facilidades como, por exemplo, a tradução da descrição de produtos vendidos por brasileiros para outras línguas de países onde esses itens podem ser comprados. A interface para listar produtos para venda também será em português.

LEIA MAIS: Conheça as próximas tendências do varejo eletrônico

Além de estimular os brasileiros a vender para outros mercados, o eBay tem buscado alcançar um número maior de compradores no Brasil. A empresa diz que está crescendo em linha com o mercado no País, com cerca de 15% de compradores a mais por ano.

O Brasil é um dos países do mundo que mais compra de varejistas internacionais. Segundo estudo da empresa de logística UPS, 81% dos brasileiros já fizeram compras internacionais online, porcentual que só perde para os 83% dos canadenses. Na Europa, o índice é de 71% e nos Estados Unidos, de 47%.

Segundo a Ebit, empresa especializada em informações sobre comércio eletrônico no Brasil, o eBay é o terceiro site onde os brasileiros mais compram ao fazer aquisições internacionais na internet.

O site foi usado por 19% dos brasileiros que responderam à pesquisa da Ebit, atrás do chinês AliExpress, com 54%, e da também norte-americana Amazon, com 26%.

O e-commerce cross-border no Brasil, no entanto, apresenta desafios. O prazo de entrega dos produtos comprados no exterior tem aumentado ao longo dos últimos anos, consequência de dificuldades burocráticas no Brasil, como as relacionadas ao sistema de alfândega.

Ainda segundo a Ebit, em 2017 eram precisos em média 41 dias para um item comprado em outro país ser entregue ao consumidor brasileiro. O prazo piorou ante a média de 36 dias registrada tanto em 2015 como em 2016.

Já do lado dos vendedores brasileiros que buscam exportar, o desafio logístico é a principal barreira.

Diferentemente do que tem feito a maioria dos marketplaces que atuam no Brasil, o eBay não lida com gestão de estoque nem logística.

IMAGEM: Divulgação